Antonio Salieri

Compositor italiano, nascido em Legnano a 18 de agosto de 1750 e falecido a 7 de maio de 1825. Depois de ficar órfão, com 16 anos, foi para Viena estudar com F. L. Gassmann, compositor e diretor musical da corte do Imperador José II.
Começou a participar, juntamente com o seu tutor, nas reuniões musicais que tinham como anfitrião o Imperador. Mais tarde, começou a participar ativamente nas mesmas reuniões, conseguindo os seus primeiros rendimentos. Fruto da sua boa relação com o Imperador, consegue em 1788 o cargo de Mestre de Capela (posição que manteve durante 36 anos), de forma a poder ter rendimentos para poder casar. Fez carreira como compositor, escrevendo óperas desde 1768. De facto, a sua primeira ópera foi Le Donne Letterate (1770), mas só conseguiu o primeiro sucesso com Armida, em 1772. Tarare (Axur) foi a sua ópera com maior reconhecimento, chegando a ser apresentada em Paris. Como características principais da sua composição destacam-se a sua expressão melódica, com uma enorme influência de Gluck, um componente coral muito dramático e uma muito cuidada declamação.
Em 1790 deu como encerrada a composição de ópera italiana. Quando começou a abrandar a composição, já contava com uma obra de cerca de 40 óperas, mas continuou a ser uma figura central na cena musical vienense, até à data da sua morte, em 1825.
A par da carreira de compositor, Salieri foi um professor com uma enorme reputação, tendo como alunos, entre outros, Beethoven, Schubert e Liszt.
Como referenciar: Antonio Salieri in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 01:06:28]. Disponível na Internet: