Antonio Skármeta

Escritor chileno nascido a 7 de novembro de 1940, em Antofagasta, no Chile, sendo descendente de uma família croata. Começou a escrever aos nove anos, num altura em que vivia na capital argentina, Buenos Aires.
Aos 12 anos regressou ao seu país para morar em Santiago do Chile. Mais tarde, ingressou na Universidade do Chile, onde estudou Filosofia e Literatura. Contudo, licenciou-se nos Estados Unidos da América na Universidade de Columbia, em Nova Iorque. Skármeta defendeu uma tese sobre a obra literária de Julio Cortázar.
No final da década de 60, publicou o seu primeiro livro, um volume de contos intitulado El Entusiasmo. Em 1969, editou Desnudo en el Tejado. Entretanto dedicou-se ao ensino e lecionou literatura em Santiago do Chile e em Washington. Em 1973 ocorreu o golpe de estado no Chile que depôs Salvador Allende e elevou ao poder Augusto Pinochet. Descontente com a situação política do país, Skármeta foi viver como exilado para a República Democrática Alemã nesse mesmo ano, tendo posteriormente passado para o lado ocidental. Aqui, dedicou-se ao cinema e foi professor de escrita de argumentos na Academia Alemã de Cinema e Televisão de Berlim Ocidental.
Entretanto, em 1975 havia lançado o romance Soñe que la Nive Ardia e em 1980 No Pasó Nada, livro sobre o exílio visto por um adolescente.
Em 1983, começou a escrever Ardiente Paciência, obra que originou uma rádionovela, uma peça de teatro e um filme. A película, com o mesmo título, foi realizada pelo próprio em Portugal, na zona da Figueira da Foz, e ganhou os festivais de cinema de Biarritz, em França, e de Huelva, em Espanha, em 1984. No ano seguinte, publicou o romance Ardiente Paciencia, que mais tarde mudou a designação para El Cartero de Neruda (O Carteiro de Pablo Neruda), que teve edição portuguesa em 1996. Esta edição surgiu após o grande sucesso do filme homónimo realizado em 1994 por Michael Radford, que foi nomeado para diversos óscares de Hollywood.
Entretanto, em 1989 Skármeta havia regressado ao Chile, onde se tornou colunista cultural numa revista. Trabalhou também para a televisão e para o cinema, até que chegou a fama internacional em 1994 graças ao filme O Carteiro de Pablo Neruda.
Só em 1999 voltou a publicar um romance, La Boda del Poeta (A Boda do Poeta), que teve uma continuação com La Chica del Trobón (A Rapariga do Trombone), de 2001.
O escritor regressou então à Alemanha para ser embaixador do Chile neste país entre 2002 e 2003.
Já em 2004 lançou um livro de homenagem ao poeta chileno Pablo Neruda intitulado Neruda por Skármeta.Para além dos galardões obtidos com o filme Ardiente Paciência, Antonio Skármeta ganhou diversos prémios literários, sendo de destacar, em 1996, o Livro de Ouro em Portugal graças a O Carteiro de Pablo Neruda, e em 2003 o Prémio Planeta, em Espanha, com El Baile de la Victoria.
Skármeta foi ainda ordenado Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França e recebeu em Itália a Ordem de Mérito com o grau de Comendador.
Como referenciar: Antonio Skármeta in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-19 03:55:47]. Disponível na Internet: