Área de Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica

A Área de Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica foi criada a 22 de maio de 1984, segundo o Decreto-Lei 168/84, ocupando uma área de 1635 hectares.
Inserida na península de Setúbal, pela Costa da Caparica e pela lagoa de Albufeira, a nor-noroeste e sul-sudeste respetivamente, a Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica surge pela necessidade de preservar as características geomorfológicas e as comunidades naturais existentes, promovendo o seu equilíbrio biológico e paisagístico.
Possuidora de um património morfológico e florístico invulgar, esta paisagem protegida deve o seu nome à existência de uma arriba fóssil que se estende ao longo de mais de 13 quilómetros, paralela à linha de costa, conferindo-lhe um relevante interesse geológico e, em especial, paleontológico. Erguendo-se abruptamente em desnível da ordem dos 70 metros, a arriba fóssil constitui um pano de fundo a toda a vizinha linha de praias.
Esta arriba interior de superfícies rochosas detríticas, bordejadas em geral por uma vasta região dunar que contacta diretamente com o mar, encontra-se colonizada por comunidades vegetais.
Geologicamente é formada por uma sucessão de estratos sub-horizontais de rochas sedimentares, por vezes com variado conteúdo fossilífero, cujas idades oscilam entre o Miocénico Médio e a atualidade.
A fauna fóssil existente caracteriza-se por ser de origem fluviomarinha, onde predominam os lamelibrânquios, os gastrópodes e algumas espécies ictiológicas. Nestas, têm particular destaque os vestígios de peixes miocénicos de formas tropicais e subtropicais, indicando mares destes tipos ou influências de correntes quentes. Este conjunto de afloramentos constitui um testemunho estratigráfico no género da Europa Ocidental, de grande valor científico e pedagógico.
As praias distribuem-se ao longo de uma faixa contínua arenosa, com cerca de 13 quilómetros de extensão, desde a Costa da Caparica até à lagoa de Albufeira, constituindo um património natural.
Fazendo a transição entre as praias e o sistema dunar, encontra-se uma zona de grande dinamismo e vulnerabilidade, o cordão dunar litoral. Devido a fatores antrópicos (construção clandestina e intenso pisoteio), este encontra-se parcialmente destruído. A instalação de uma rede de paliçadas, a plantação de estorno e a colocação de passadeiras de acesso às praias, com o fim de restabelecer a morfologia inicial do cordão dunar litoral, são soluções encontradas para conservar uma zona de grande fragilidade.
Imediatamente abaixo da Arriba Fóssil encontram-se as chamadas "Terras da Costa". Estas compreendem uma vasta planície ao longo de uma faixa com orientação norte-sul, hoje limitada pela mata das Dunas e pela Arriba Fóssil.
Na Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica a vegetação é predominantemente constituída por comunidades arbustivas temperadas, incluíndo charnecas atlânticas, matos e comunidades de ervas altas, florestas de recolonização de folha caduca, assim como matos esclerófilos mediterrânicos de folha persistente.
As principais unidades de vegetação são: a vegetação dunar, a vegetação Acacial e o pinhal.
A Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica alberga um conjunto faunístico bastante diversificado. Da avifauna característica do ecossistema de pinhal, destacam-se a perdiz comum, a pega-rabuda e a coruja-das-torres, associada a inúmeras espécies migratórias como o peneireiro-cinzento, o andorinhão preto e a gaivota-argêntea, que sazonalmente por aqui passam, encontrando as condições necessárias para nidificação, repouso e alimento.
Os mamíferos encontram-se bem representados, com destaque para o coelho, a raposa e a gineta, verificando-se também a presença de numerosos micromamíferos.
A rã-verde, o sapo-corredor, a salamandra-de-pintas-amarelas, o sardão, a lagartixa-de-dentes-dentados, a lagartixa-do-mato-ibérica, a víbora cornuda e a cobra-rateira, entre outros, também povoam esta região.
Associada aos diferentes biótopos desta área, surge uma grande variedade de insetos, alimento por excelência de passeriformes e micromamíferos.
As principais atividades económicas tradicionais na Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica são a agricultura e a pesca, desenvolvidas respetivamente pelos rendeiros das Terras da Costa e pelos pescadores da Fonte da Telha. A fertilidade, a abundância da água no solo e a proximidade dos grandes centros consumidores das Terras da Costa, levam os agricultores a praticarem uma exploração vocacionada para a produção hortícola intensiva. As principais culturas são o lombardo, o nabo, a cenoura, a couve portuguesa, a nabiça e a alface. A pesca era primitivamente feita em embarcações "meias luas", braçalmente transportadas para o mar. Atualmente estas formas foram substituídas por "chatas", com adaptação a motor e rebocadas por tratores. As principais espécies pescadas são o carapau, a faneca, a solha, o linguado, a lula, o choco, o robalo e o sargo.
Como referenciar: Área de Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-20 07:44:07]. Disponível na Internet: