artigo

Subclasse de determinantes que tem a função de especificador do nome ou substantivo, na medida em que é o responsável por atribuir informações morfológicas de género e número ao substantivo. É de facto o determinante artigo que informa que "o lente" é um professor e que "a lente" é um objeto de vidro que melhora a visão. Além disso, os artigos, ao serem antepostos a qualquer palavra, fazem dela um nome (mesmo que provenham de outras classes morfo-sintáticas, como dos advérbios "o amanhã", ou das preposições "os prós e os contras").
Existem dois tipos de artigos em português: os artigos definidos e os artigos indefinidos, todos eles morfologicamente variáveis em género e número:


Um único artigo é geralmente suficiente para anteceder os nomes, embora em alguns casos possam combinar-se com outros determinantes (os determinantes possessivos são antecedidos por artigos - "o meu cão"; também alguns determinantes indefinidos se combinam com artigos "todos os dias"; "os outros colegas").
Os artigos definidos podem ainda contrair-se com as preposições a (ao, à, aos, às), por (pelo, pela, pelos, pelas), de (do, da, dos, das) e em (no, na, nos, nas). Os artigos indefinidos podem também contrair-se com a preposições em (num, numa, nuns, numas).
Semanticamente, os artigos definidos indicam nomeação de um objeto ou entidade conhecidos pelo locutor, ou por já terem sido mencionados no discurso ou por fazerem parte da memória vivencial do locutor. Os artigos indefinidos, por outro lado, indicam nomeação de um substantivo desconhecido, novo no discurso. É assim que a retoma anafórica ou repetição de um substantivo no texto é sempre feita por um artigo definido, uma vez que já é uma entidade conhecida:

Chegámos a uma cidade vizinha. A cidade era afinal mais pequena que a anterior.

Com alguns substantivos, porém, não se utiliza artigo, falando-se nestes casos de artigo nulo. Seguem-se alguns casos em que esta situação se verifica:

1. Com nomes contínuos e incontáveis:
a. Gosto de beber água.
b. Costumas ler jornais?
c. Onde costumas pôr gasolina?

2. Com nomes próprios conhecidos ou históricos:
a. Cícero foi um dos fundadores da oratória.
b. Ando a estudar Camões.

3. Com alguns nomes geográficos:
a. Vivo em Portugal.
b. Já estive em Marrocos.

4. Depois de verbos copulativos:
a. A minha irmã é médica.
b. Sou sócio do Futebol Clube do Porto.
Como referenciar: artigo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 05:42:20]. Disponível na Internet: