Artigos de apoio

As Corridas de Epson e Ascott
A tradição das corridas de cavalos de Epson e Ascot faz parte de um certo estilo de vida de que a Inglaterra não prescinde. Ano após ano, gerações de aficionados rendem-se a este ritual, que celebra as qualidades de um dos animais mais belos e inteligentes do mundo.
O Derby, a corrida de cavalos disputada na pista de Epson Downs, tem lugar todos os anos no primeiro sábado de junho e é a mais famosa corrida sem obstáculos de toda a Inglaterra. Talvez por esse motivo emprestou o seu nome a muitas outras corridas de prestígio, nacionais e internacionais, como é o caso do Kentucky Derby, embora esta última não tenha pista de relva. Mas o Derby é único em tradição, prestígio e grandiosidade, sendo considerado o teste último e o prémio mais apetecido. Embora existam corridas com prémios mais valiosos (no Derby o prémio é de 1 milhão de libras), ganhar uma inscrição no troféu de Derby significa fazer parte da história equestre.
No recinto da Epson Downs Racecourse existe ainda a possibilidade de, para além das corridas, fazer uma visita ao local, o Derby Day Experience, aberto ao público em dez domingos durante todo o ano, mas também disponível em outras datas para grupos organizados sob marcação. O Derby Day Experience abrange uma série de visitas que inclui exposições, apresentações audiovisuais, filmes de arquivo, as instalações de bastidores e o pódium dos vencedores. Uma feira de diversões recebe o público após as corridas.
O Derby surgiu um pouco ao acaso, a partir de uma conversa entre um grupo de amigos que se reunia na casa de Edward, décimo segundo Duque de Derby, e que resolveu nomear a corrida a partir do nome do anfitrião. O primeiro Derby teve lugar a 4 de maio de 1780, num percurso de uma milha, tendo a distância sido aumentada para uma milha e meia (2400 m) alguns anos mais tarde. A pista atual, em forma de uma gigante ferradura, inclui a famosa curva Tattenham Corner antes da reta final, junto à bancada Grandstand. Esta bancada teve várias versões ao longo dos anos, a última das quais, a Queen's Stand de 1992, ganhou vários prémios pelo seu perfil inovador. A localidade de Epson tinha já tradição de corridas de cavalos mesmo antes da fundação do Derby, mas este último proporcionou uma melhor organização e corridas mais emocionantes. O Derby Day tornou-se incrivelmente popular e concorrido, ocasionando grandes engarrafamentos nas áreas circundantes ao hipódromo. Este facto levou ao desenvolvimento das linhas ferroviárias de Croydon (1847) e Wimbledon (1859), o que fez progredir a pequena cidade de Epson. O primeiro vencedor da Epson Derby, em 1780, foi o cavalo Diomed, de Sir Charles Bunbury, mais tarde exportado para a América, que quando morreu provocou uma grande onda de consternação nacional, apenas comparável à morte de George Washington. O primeiro cavalo francês a vencer o Derby foi o Gladiateur, em 1865, e o segundo foi o Pearl Diver, de Lord Waldner, em 1848.
A corrida de uma milha e meia (2400 m) começa no lado mais distante relativamente às bancadas do hipódromo, numa difícil subida com curva gradual à direita, continuando a subida até o topo do Tattenham Hill, durante a qual os jockeys têm a possibilidade de acalmar ou recuperar os cavalos quando mudam para o outro lado da pista. Do topo do monte existe uma descida íngreme com inclinação à esquerda, tornando-se mais acentuada à medida que os cavalos alcançam a Tattenham Corner, onde a sufragista Emily Davidson se atirou para debaixo de Anmer, o cavalo do Rei George V, em 1913, morrendo pela causa feminista. A reta final de meia milha é constituída por uma breve descida e uma pequena subida antes da meta e a pista, em declive desde as bancadas até ao centro, o qual provoca grande dificuldade e cansaço aos cavalos que correm do lado esquerdo. A grande dificuldade que torna esta corrida tão famosa é que os cavalos têm de ser capazes de suportar o esforço torturante da subida e a descida em corrida a todo o galope até ao Tattenham Corner, ou seja, mais do que a distância que percorrem é a forma como correm o Derby. Os cavalos têm de ter o vigor, a energia e o equilíbrio para acompanhar o piso ascendente e o autocontrolo necessário para lidar com o declive da pista. Ao mesmo tempo estes puros-sangues têm de ter o temperamento necessário para suportar tudo isto com os ruídos da feira de diversões e o fragor de uma das maiores audiências de corridas. O Derby é um duro teste de carácter para todos os magníficos animais que nele participam e o vencedor, para além do valor do prémio, ganha a possibilidade de passar à História como um dos melhores cavalos do mundo. Os cavalos sobre os quais incidiram as maiores apostas como vencedores do Derby, na proporção de 100 para 1, foram Jeddah (1898), Signorinetta (1908) e Aboyeur (1913). O menos apostado foi Ladas (2-9) em 1894. Mais recentemente, o melhor estrangeiro a vencer foi Psidium (66-1), em 1961, e o menos apostado a vencer foi Sir Ivor (4-5). Quanto a jockeys vencedores, o mais jovem de sempre foi Lester Piggot, com 18 anos, a concorrer com o Never Say Die em 1954, e o mais velho foi John Forth, com mais de 60 anos, a vencer em 1829 com o cavalo Frederick.
O recorde de 56,42 km/h (2413 metros em 2' 38'' 8) foi atingido por Mahmoud, de Aga Khan, que ganhou a 100 contra 8 em 1936, performance que quase seria atingida em 1995 por um cavalo de raça árabe, Lammtarre, com 2' 32'' 30. Desde 1980 os vencedores foram: em 1980 Henbit (GB), em 1981 Sheyar, em 1982 Golden Fleece (EUA), em 1983 Teenoso (EUA), 1984 Secrets (EUA), em 1985 Slip Andor (GB), em 1986 Shahrastani (EUA), em 1987 Reference Point (GB), em 1988 Kahyasi (Irl.), em 1989 Nashwan (EUA), em 1990 Quest for Fame (GB), em 1991 Generous (Irl.), em 1992 Dr. Devious (Irl.), em 1993 Commander in Chief (GB), em 1994 Erhaab (EUA), em 1995 Lammtarre (EUA), em 1996 Shaamit (Irl.), em 1997 Denny The Dip (EUA), em 1998 Hight Rise (Irl.), em 1999 Oath (Irl.) e em 2000 Sinndar (Irl.).
A Ascot Racecourse é internacionalmente conhecida pela sua atmosfera mediática de elegância e estilo que associa a nobreza, a alta-costura e os puros-sangues mais cotados do meio equestre. Os prémios ascendem a milhões de libras (2,5 milhões de libras em 2000) num conjunto de corridas distribuídas por 15 grupos, incluindo um Group One para cada um dos quatro dias. A sua origem remonta a 1711 quando a rainha Anne, que passeava a cavalo junto ao Windsor Great Park, reparou numa clareira natural perto da aldeia de East Cote, hoje denominada Ascot (corruptela daquele nome). A Rainha Anne encarregou o seu Master of the Buckhounds (uma espécie de Chefe de Caça), o Duque de Somerset, de conceber o percurso original da pista para que "os cavalos pudessem correr a todo o galope". Foi assim que surgiu uma das corridas mais famosas de todo o mundo, a Ascot Royal Racecourse. A construção da pista custou, na altura, cerca de 607 libras. O primeiro dia de corridas, teve lugar a 11 de agosto de 1711 e o segundo no dia 13 desse mesmo mês, em que foi disputado The Queen's Plate, no valor de 100 libras. A morte da rainha Anne, em 1714, originou o cancelamento das corridas nesse ano e apenas mais uma corrida teve lugar até 1744, período durante o qual a pista permaneceu encerrada. A recuperação das corridas de Ascot ficou a dever-se à iniciativa do Duque de Cumberland que, em 1768, organizou a primeira série de quatro dias de corridas e a tradição anual foi mantida até aos nossos dias.
Hoje, a pista de Ascot é utilizada todos os anos para 24 dias de corridas do mais alto nível, das quais a Royal Ascot, nos finais de junho, é a mais importante. Este encontro reúne, todos os anos, uma audiência de cerca de 230 mil pessoas que ansiosamente assistem ao momento mais esperado, que se realiza às 14 horas em cada um dos quatro dias, a Royal Procession, em que o cortejo real entra pelos portões dourados, os Golden Gates, e faz o percurso da pista de corridas. No primeiro dia destaca-se a corrida de apostas do St. James's Palace Stakes (Grupo 1), que teve a sua primeira versão em 1834, uma das principais corridas de milhas para poldros de três anos e um dos objetivos principais dos cavalos que concorreram nas corridas inglesas, francesas ou irlandesas das 2 000 Guineas. A Prince of Wales Stake é a corrida de apostas do segundo dia, que atualmente pertence ao Grupo 1. No terceiro dia é disputada a Gold Cup, desde 1807, num percurso de duas milhas e meia (4000 metros), que a torna numa das mais longas corridas sem obstáculos do calendário e o teste mais difícil dos cavalos de topo, com mais de quatro anos, de toda a Europa que concorrem a um prémio de 210 mil libras. No último dia disputa-se uma das principais corridas de velocidade da época, a King's Stand Stakes (Grupo 2), e a King Edward VII Stakes, muito popular para cavalos que correram no Derby e que, entre 1834 e 1925, teve a designação de The Ascot Derby. Neste dia também tem lugar a The Coronation Stakes, disputada desde 1870, a versão equivalente ao S. James's Palace Stakes para poldras. O King George and Queen Elizabeth Diamond Stakes, cuja primeira edição teve lugar em 1951, é uma corrida em que participam cavalos com mais de três anos, num percurso de 2400 metros, que disputam um prémio de 600 mil libras.
Exceto no Royal Meeting (o encontro real), em que se torna no Royal Enclosure, o Members' Enclosure, um local com vista privilegiada sobre a pista, é acessível a quem comprar o impresso (Day Members' Badge), que permite também aceder a todas as áreas da corrida bem como a lugares sentados grátis nos níveis mais altos da bancada. O Members' Enclosure tem áreas adjacentes que permitem visualizar a meta de chegada, bem como restaurantes que servem marisco e champanhe e bares com uma grande variedade de bebidas leves. Os homens são obrigados a levar casaco, camisa e gravata ou então um casaco com um polo (calças de ganga não são admitidas).
O Grandstand, a bancada coberta, e o Paddock, uma espécie de picadeiro onde os cavalos são exibidos antes da corrida, são outros dois locais disponíveis para o público que dispõe de bares e restaurantes com marisco, champanhe e refeições ligeiras ao som de música ao vivo no Summer Paddock. O Grandstand é o maior de todos os locais de audiência e tem excelentes vistas e instalações, incluindo camarotes de aluguer privados e lugares sentados que podem ser reservados com antecedência. Os bilhetes para o Grandstand (bancada) e para o Silver Ring estão à venda desde os primeiros dias de janeiro de cada ano e dada a grande procura de bilhetes para o Royal Ascot a organização aconselha sempre uma reserva atempada dos lugares, dado que a capacidade das diferentes áreas é reduzida.
Como referenciar: As Corridas de Epson e Ascott in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-03-25 07:50:42]. Disponível na Internet: