Atlético de Madrid

Clube espanhol de futebol, o Club Atlético de Madrid foi fundado a 30 de abril de 1903 por um grupo de jovens bascos e madrilenos. De início, o clube chamava-se Athletic, tal como o Athletic de Bilbau, do País Basco, do qual era uma filial. Nessa época, o equipamento da formação espanhola era azul, mas em 1911 mudou para o tradicional vermelho e branco em riscas verticais, que valeu a alcunha de colchoneros (as cores do equipamento eram parecidas com as de uma marca de colchões muito popular na altura).
Nos anos 30, o clube de Madrid viveu uma grave crise económica, que só foi resolvida em 1939 através da fusão com uma equipa de Salamanca ligada ao Ministério da Aviação, daí resultando a denominação Atlético Aviación. Nesta altura, devido ao ferver nacionalista em Espanha, a designação Athletic foi definitivamente alterada para Atlético. O Atlético Aviación ganhou os campeonatos de 1939/40 e 1940/41.
A 14 de janeiro de 1947 volta a denominar-se Atlético de Madrid, depois do Ministério da Aviação se ter afastado do clube por entender que ele já estava numa situação financeira estável.
Passaram-se assim alguns anos até o Atlético de Madrid se tornar num dos clubes mais fortes de Espanha, e só na temporada de 1949/50 a equipa de futebol conquistou o campeonato nacional. Dirigida por Helenio Herrera, repetiu o feito logo na temporada seguinte, mas depois entrou numa fase de declínio. Só reconquistou a glória em 1959/60 quando formou a chamada equipa maravilha, onde alinhava Mendonza, um português de Angola naturalizado espanhol. Apesar de apresentar um bom futebol não conseguia ganhar títulos, queixando-se de haver uma proteção ao Real Madrid.
Em 1962 amenizou a situação ao conquistar a Taça das Taças, uma importante competição europeia de clubes, tendo batido na final os italianos da Fiorentina por 3-0. Só que, mesmo assim, voltou a entrar numa crise profunda a nível desportivo e financeiro. A salvação apareceu em 1964, quando Vicente Calderón assumiu a presidência do clube. Este dirigente, o mais considerado na história do clube, garantiu a conclusão do novo estádio de Manzanares, inaugurado em 1966, ano em que o Atlético de Madrid voltou a vencer o campeonato. O Atlético Madrid entrou num período de grande fulgor que valeu a conquista de três campeonatos e duas taças de Espanha durante a década de 70. Em 1974 chegou à final da Taça dos Campeões Europeus com os alemães do Bayern de Munique, mas depois de um empate no primeiro jogo perdeu por 4-0 na partida de desempate. Tendo ainda ganho a Taça Intercontinental em 1975 e um campeonato em 1976/1977, o clube de Madrid entrou num longo período negro, que durou praticamente duas décadas. No entanto, foi durante esse período que brilhou o jogador português Paulo Futre, contratado em 1987 pelo polémico presidente Jesus Gil Y Gil, eleito nesse mesmo ano. Futre, por muitos considerado o melhor jogador de todos os tempos do Atlético de Madrid, ajudou a equipa a ganhar a Taça de Espanha de 1990/1991 e a de 1991/1992.
O Atlético de Madrid regressou aos tempos de glória em 1995/1996, época em venceu o campeonato e a Taça de Espanha.
No entanto, em 2000 viveu a pior fase do seu historial ao descer à II Liga espanhola, num ano em que Gil Y Gil se viu envolvido numa série de escândalos financeiros.
Só após dois anos na II Liga o Atlético de Madrid conseguiu recuperar o lugar na divisão principal. Neste período alinharam no clube de Madrid os jogadores portugueses Hugo Leal e Dani.
Como referenciar: Porto Editora – Atlético de Madrid na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-05 01:58:30]. Disponível em