Audrey I. Richards

Antropóloga social inglesa, Audrey Isabel Richards nasceu a 8 de setembro de 1899, em Londres, Grã-Bretanha e faleceu em 1984. Doutorou-se em Antropologia Social em 1929 pela London School of Economics. Inicialmente formada em Biologia, Richards foi das primeiras alunas de Bronislaw Malinowski na London School of Economics, juntamente com nomes como Isaac Schapera ou Evans-Pritchard. Entre 1930 e 1955, Richards levaria a cabo várias pesquisas antropológicas na África Oriental, nomeadamente na Rodésia e no Uganda, entre os Bantu, os Bemba e os Ganda. Nestes estudos, debruçou-se especialmente sobre questões relacionadas com alimentação, agricultura, sexo e economia, privilegiando as dimensões mais domésticas destas sociedades. Em obras como Hunger and Work in a Savage Tribe: A Functional Study of Nutrition Among the Southern Bantu (1932) ou Land, Labour and Diet in Northern Rhodesia: An Economic Study of the Bemba Tribe (1939), Audrey I. Richards desenvolveu monografias rigorosas e completas, com um forte cariz funcionalista, denotando claramente as influências do pensamento de Malinowski, seu grande mentor intelectual.
Entretanto, Richards prosseguiu a sua carreira docente, que se iniciara na London School o Economics, com passagens por várias universidades inglesas e africanas, até se tornar professora de Antropologia Social, em 1956, do Newnham College, da Universidade de Cambridge (GB), onde seria igualmente Diretora do Centro de Estudos. No entanto, é importante destacar que Audrey Richards nunca foi apenas uma académica, tendo desempenhado um papel relevante como administradora política e científica. Assim, foi também Secretária do Colonial Research Committee (1944-1947), bem como Diretora do Instituto de Investigação Social da África Oriental, da Makerere University College (Kampala, Uganda), entre 1950 e 1956.
De entre as principais contribuições académicas de Richards, é justo salientar o carácter inovador dos seus estudos antropológicos sobre algumas dimensões sócio-culturais até aí esquecidas na análise das sociedades ditas primitivas, como a alimentação, a agricultura, o sexo e o casamento. Igualmente louvável é a preocupação interdisciplinar de Richards, sempre presente nos seus trabalhos, assim como a forma como soube flexibilizar o modelo funcionalista de análise social que herdou de Malinowski. O reconhecimento científico e pessoal que alcançou em vida, garantiram a Audrey I. Richards a homenagem por parte da Coroa Britânica, com a ordem "Commander" (1955). Outras obras de Richards:
1940, Bemba Marriage and Modern Economic Conditions
1954, Economic Development and Tribal Change: A Study of Immigrant Labour in Buganda
1956, Chisungu: A Girl's Initiation Ceremony Among The Bemba of Northern Rhodesia
1966, The Changing Structure of a Ganda Village: Kisozi, 1892-1952
1971, Councils in Africa (editora, com A. Kuper)
1973, Subsistence to Commercial Farming in Present-day Buganda: An Economic and Anthropological Survey
Como referenciar: Audrey I. Richards in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-17 14:24:50]. Disponível na Internet: