Australopithecus aethiopicus

O Australopithecus aethiopicus existiu entre 2,6 e 2,3 milhões de anos. Esta espécie ficou conhecida a partir de um elemento fóssil de significativa importância, o Crânio Negro descoberto por Alan Walker, bem como de outros, de menor dimensão, provavelmente pertencentes à mesma espécie.
Apesar de ter sido considerada como hipótese, presentemente verificou-se que o aethiopicus não é antepassado direto do boisei e do robustus, situação que as características mistas de primitivismo e cariz evolucionado faziam antever. O tamanho do cérebro é reduzido, cerca de 410 cc, e algumas partes do crânio, particularmente as traseiras, são bastante primitivas, numa parecença aberta com o afarensis. Outras características, como a solidez da face, maxilar e único dente encontrado, e a maior crista sagital de todos os hominídeos, aproximam-no do Australopithecus boisei.
Como referenciar: Australopithecus aethiopicus in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-19 19:58:30]. Disponível na Internet: