azeotropismo

O azeotropismo é um fenómeno que consiste no facto de algumas misturas de dois ou mais líquidos, em proporções bem determinadas, se comportarem durante a destilação de maneira semelhante a uma substância pura, ou seja, possuírem um ponto de ebulição constante a uma determinada pressão.
A composição destas misturas (misturas azeotrópicas ou azeótropos) não sofre alteração pela passagem do estado gasoso e o seu ponto de ebulição é, em geral, inferior (embora possa nalgumas situações ser superior) ao de cada uma das substâncias líquidas que a compõem.
O azeotropismo não permite a separação total, pela destilação, de líquidos entre os quais se dê este fenómeno.
Um exemplo, é o álcool etílico obtido por destilação do vinho, que é denominado de "álcool etílico ordinário", constituindo este uma mistura azeotrópica que é composta por 95,5% (percentagem em peso) de etanol e 4,5% de água.
O azeotropismo é muito usado para separar, por destilação, substâncias dificilmente separáveis por esta técnica, adicionando à mistura um composto que forme um azeótropo com uma das substâncias.
Quando se realizam destilações de misturas binárias homogéneas, se a curva de evaporação apresentar um máximo ou um mínimo, a curva de condensação apresenta-o no mesmo ponto.
Nessas condições, o líquido e o vapor estão em equilíbrio, isto é, as duas fases, apresentam a mesma composição. A mistura comporta-se nesse ponto como um corpo unitário e, por conseguinte, o líquido destila sem alterar a sua composição.
Estes sistemas são designados de misturas azeotrópicas e o fenómeno é designado de azeotropismo.
Os sistemas formados pelos compostos álcool etílico e benzeno, álcool metílico e clorofórmio, e ácido nítrico e água, são alguns exemplos de sistemas que apresentam azeotropismo.
Como referenciar: Porto Editora – azeotropismo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-03 08:22:41]. Disponível em