Bagdade


Aspetos Geográficos
Cidade e capital do Iraque, Bagdade situa-se no interior do país, sendo atravessada pelo rio Tigre e ficando a uma distância curta do outro grande rio do país, o Eufrates. A estrutura da cidade é policêntrica, sendo a área de maior atividade a que corresponde à margem leste do rio Tigre, nos quarteirões das ruas Saadoun e Al-Jamoun. É a segunda maior cidade do mundo árabe, a seguir ao Cairo. A sua população é de aproximadamente 7 400 000 habitantes (2005).

História e Monumentos Apesar de ser provavelmente anterior, a cidade foi oficialmente fundada no ano de 762 pelo califa Al-Mansur, escolhida para ser o centro administrativo do califado. Foi concebida originalmente como um círculo com cerca de dois quilómetros de diâmetro, formando um anel de estruturas residenciais e comerciais no interior das muralhas da cidade, mas a construção final adicionou mais um anel no interior do primeiro. Esta conceção redonda assenta em precedentes persas. Acredita-se ter sido a maior cidade do mundo entre os anos 775 e 935. A cidade impôs-se como um importante centro de conhecimento e de comércio até ao ano de 1258, quando foi saqueada pelos mongóis que massacraram milhares de pessoas e destruíram diversas zonas do seu território. Passou depois por um longo período em que ia sendo conquistada por diversos povos até que ficou a fazer parte do Império Otomano, em 1638. Esse controlo mudou para mãos britânicas em 1921, tornando-se capital do Estado independente do Iraque apenas em 1932. Nos anos 70, a cidade prosperou bastante à custa do preço do petróleo, dando origem à construção de modernos edifícios e de muitos outros projetos. Em 1991, a cidade foi bombardeada por tropas norte-americanas na sequência da guerra do Golfo, acontecimento que se repetiu em 2003 quando tropas do mesmo país acabaram por tomar o controlo da cidade. Nos tempos que se seguiram, Bagdade viveu um período de grande insegurança e violência. O Museu Nacional do Iraque (parcialmente destruído na invasão de 2003), a Mesquita de Al-Kadhimain e o Palácio de Abbasid (um dos edifícios mais antigos da cidade, do século XII ou XIII) são alguns dos seus principais monumentos.

Aspetos Turísticos e Curiosidades
Os lugares de interesse da cidade incluem os coloridos bazares de rua, a Universidade Islâmica (do século XIII), os restos das antigas muralhas e portas da cidade e a estalagem Khan Murjan (do século XIV). Destaca-se ainda o Jardim Zoológico, a Orquestra Nacional do Iraque e o Teatro Nacional, embora grande parte das suas atrações tenham sido seriamente afetadas pelos bombardeamentos ocorridos em 2003. Apesar da extrema riqueza do seu legado histórico, a cidade não teve condições para permitir um bom desenvolvimento turístico, até pela instabilidade que viveu entre o final do século XX e o início do século XXI. Bagdade é também a cidade dos lendários contos das Mil e uma Noites, que incluem as histórias de "Aladino" ou de "Ali Babá e os 40 Ladrões".


Economia
As suas indústrias incluem a destilação de bebidas alcoólicas, os curtumes, os produtos alimentares e do tabaco, o vestuário e o cimento, para além das refinarias de petróleo. A cidade foi durante séculos a mais rica e, em termos económicos, a mais importante do Iraque. Continuou a sê-lo mesmo depois de se encontrar petróleo noutras regiões. Atravessou, no entanto, muitas dificuldades após a guerra de 2003, que afetou bastante as suas infraestruturas e produtividade. Apesar disso, à parte as instituições governamentais que foram em grande parte desmanteladas e reconstruídas, a maioria das atividades citadinas manteve-se igual após a guerra. Bagdade é também o centro financeiro do país e a sede do Banco Central do Iraque. O principal empregador da cidade é o Estado. É também na cidade que se localizam as principais instituições de ensino, incluindo três universidades.
Como referenciar: Bagdade in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-12 03:51:20]. Disponível na Internet: