Batalha de Okinawa

Batalha da II Guerra Mundial. Okinawa é uma ilha japonesa do arquipélago das Ryu Kyu e era uma das grandes bases nipónicas durante esse conflito mundial. Foi palco de uma das mais violentas e sangrentas batalhas da guerra no Pacífico. No último ano da guerra, os exércitos aliados, compostos maioritariamente por forças norte-americanas, avançavam inexoravelmente sobre o Japão. Contudo, esse avanço revelava-se extremamente complicado dada a resistência imposta pelas forças japonesas entrincheiradas em abrigos e subterrâneos cavados em inúmeras ilhas ocupadas desde o início do conflito. Além disso, a mentalidade nipónica encarava a rendição como um ato indigno e, por essa razão, os combates eram, passe o exagero, até à morte do último homem. Por estes motivos, os americanos avançavam muito lentamente, tendo que conquistar as posições uma a uma e à custa de pesadas baixas. Como sucedeu em Okinawa. No dia 1 de abril de 1945, uma esquadra americana composta por cerca de 1400 navios começou a desembarcar na baía de Hagushi seis divisões de "marines" que esbarraram com a desesperada resistência dos 120 mil defensores da ilha apoiados numa linha que compreendia Naha, Shuri e Yonabaru. A violência dos confrontos e os fracos resultados iniciais levaram os Aliados a fazer um compasso de espera, suspendendo as ações no dia 4 de abril. Mais ou menos um mês depois (durante o qual foram bombardeadas sem cessar as posições dos sitiados), a ofensiva foi reiniciada (8-5-1945), dando origem aos mais sangrentos combates da campanha do Pacífico: Sugar Loaf, Naha, Shuri e Oruku, entre outros, foram lugares onde o confronto atingiu uma violência nunca antes observada. A ilha ficou definitivamente tomada a 21 de junho.
Como referenciar: Batalha de Okinawa in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-26 02:04:16]. Disponível na Internet: