Batalha de Sadowa (ou de Königgratz)

Batalha decisiva da Guerra das Sete Semanas, um conflito armado onde se debateram a Prússia e a Áustria a 3 de julho de 1866; esta batalha foi um teste para o sistema moderno de uma guerra centralizada planificada e com bases logísticas.
As forças da Prússia eram comandadas por Helmuth Karl Bernhard von Moltke e os austríacos e os seus aliados saxões eram liderados pelo conde Ludwig August Benedek.
Helmuth Moltke pôs em ação os seus três corpos numa frente convergente procurando uma manobra de envolvimento para cercar e aniquilar o inimigo. Benedek estava desmoralizado por uma série de pequenas derrotas, mas tinha a vantagem de escolher a posição. O local encontrado situava-se a noroeste de Koniggratz, hoje da República Checa, perto da vila de Sodova, onde escavou e preparou o terreno para a sua artelharia.
O primeiro exército da Prússia preparou o ataque a 3 de julho após ter localizado as forças austríacas. Moltke foi forçado a enviar os exércitos 2.º e Elbe para a ação. Benedek esperava encontrar apenas parte da força da Prússia, e planeou o contra-ataque, mantendo uma grande reserva. Ele tinha 190 000 austríacos e 25 000 saxões sob o seu comando, enquanto a força de Moltke era composta por cerca de 200 000 prussianos, nem todos presentes a 3 de julho de 1866.
A batalha resultou na perda de 2000 homens e no ferimento de 8000 do lado da Prússia; do lado austríaco foram mortos 5700 e feridos 36 000; 8000 desapareceram e 22 000 foram capturados. Os austríacos aceitaram o desfecho da batalha e o processo foi conduzido pelo ministro da Prússia Otto von Bismarck, que evitou a sua humilhação.
Como referenciar: Porto Editora – Batalha de Sadowa (ou de Königgratz) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-26 22:55:08]. Disponível em