batateira

Nome vulgar da espécie Solanum tuberosum da família das Solanáceas.
As plantas desta espécie, também conhecidas por semilheiras, são anuais com tubérculos subterrâneos, ligados por estolhos hipógeos. Os caules são aéreos eretos, com folhas alternas, penatissetas, de segmentos ovado-cuspidados, desiguais, sendo uns maiores que os outros.
As flores são pentâmeras reunidas em cimeiras multifloras. Perianto com cálice de lobos lanceolados, acuminados e corola de diâmetro compreendido entre os 25 e 35 milímetros. A corola é rodada de cor branca, purpúrea, azul, rosada ou violácea. As anteras são grandes, amarelas a alaranjadas, coniventes e deiscentes por poros. A floração desta espécie ocorre entre maio e setembro. O fruto é uma baga bilocular, subglobosa, suculenta, de cor esverdeada ou purpúrea.
A batateira é uma planta ruderal e encontrada em terrenos cultivados. É originária da América do Sul, sendo subespontânea e cultivada na Europa.
Trazida dos Andes peruanos depois da conquista de Pizarro, a batateira foi introduzida em Espanha em 1580. A sua cultura espalhou-se rapidamente em Espanha, Itália e Alemanha para alimentação dos animais. Em 1763, um prisioneiro alemão de nome Parmentier provou a batata passando, então, a fazer a propaganda da sua cultura.
Existem cerca de duas mil variedades de batata em todo o mundo.
A parte aérea da planta é venenosa, enquanto os seus tubérculos, designados por batatas, são comestíveis, ricos em amido e muito importante nos hábitos alimentares dos Europeus. Os tubérculos ao fim de um ano perdem qualidade, sendo por isso necessário obter novos a partir de sementes que são popularmente conhecidas por batatas semente. São estes tubérculos que são plantados pelos agricultores.
Como referenciar: batateira in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-27 14:07:39]. Disponível na Internet: