Baudolino

Romance de Umberto Eco, publicado em 2000, constituído por quarenta capítulos.
A ação passa-se entre 1152 e 1204. Narram-se as aventuras picarescas de Baudolino, um rapaz camponês, adotado por Frederico I, o Barba Ruiva, imperador de Roma.
Frederico I confiou a educação de Baudolino ao seu tio e bispo, Otão. Este acha que o jovem tem capacidades para ser ele a conduzir o sobrinho ao reino de Prestes João. Mas, para melhorar a cultura do camponês, manda-o estudar em Paris. Aí, o jovem estabelece uma relação de amizade com o sírio Abdul e o clérigo Borão. Quando regressa à corte de Frederico I, Baudolino, muito inventivo e mentiroso, cria uma história fantástica sobre Prestes João. E apresenta uma carta, inventada, na qual o próprio Prestes João não só afirmava que um reino, no extremo Oriente, seria governado por um rei cristão, como também descrevia as maravilhas dessa terra.
Impressionado, Frederico, juntamente com Baudolino, empreende então uma expedição ao Oriente. Durante a viagem, descobrem lugares exóticos, a originalidade do castelo de Ardzrouni, a escuridão da Abcássia e a estranha natureza de Pndapetzim e vivem grandes e fantásticas aventuras.
É Baudolino que, numa narrativa por analepses, conta a Nicetas Coniates, historiador e ministro do imperador de Bizâncio, as peripécias vividas.
A obra reúne em si façanhas inverosímeis, viagens a lugares inexistentes e lendas do Santo Graal; e conjuga elementos do romance histórico, picaresco e de cavalaria.
Como referenciar: Baudolino in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 18:47:59]. Disponível na Internet: