Bebel Gilberto

Cantora e compositora brasileira, Isabel Gilberto de Oliveira nasceu em Nova Iorque a 12 de maio de 1966. Filha de João Gilberto, músico fundador da bossa nova, e Miúcha, cantora e compositora, irmã de Chico Buarque, Isabel trazia nos genes o gosto pela música. Desde muito cedo, integrou coros infantis, participando em alguns musicais célebres no Brasil, como Saltimbancos (1977) ou Pirlimpimpim (1982). Durante a década de 80, tentou a sua sorte no meio musical brasileiro, compondo ao lado de Cazuza, Dé e outros nomes da pop e chegando a lançar um EP, com o selo da Warner. Mudou-se para Nova Iorque em 1991. No mais lato meio artístico americano, tem oportunidade de privar com alguns nomes sonantes e, dividindo-se entre os Estados Unidos da América e o Reino Unido, desenvolve trabalhos com o escocês David Byrne, mítico guru dos Talking Heads, o produtor e guitarrista americano Arto Lindsay, Towa Tei, DJ nipónico do projeto Deee-Lite, e os americanos Thievery Corporation. O disco de debute, Tanto Tempo, lançado em 2000 e merecedor de um volume de remixes no ano seguinte, apresentava ao mundo a voz de uma cantora a conciliar as raízes clássicas da bossa nova com os andamentos da modernidade e outras conceções de fazer música. O sucesso foi imediato, pela mão do selo Ziriguiboom, catapultando o nome de Bebel Gilberto para a primeira linha da nova world music. A produção de Suba, um sérvio radicado no Brasil que morreria pouco antes do lançamento do álbum, apontava para a revisão de alguns clássicos, como "Samba da Bênção" (de Baden Powell e Vinicius de Moraes), "Samba e Amor" (do seu tio, Chico Buarque) e "Bananeira" (de Gilberto Gil) e composições inéditas. A edição de remixes contaria com alguns nomes consagrados no panorama da música eletrónica, casos de Rae & Christian, Peter Kruder, 4 hero, King Britt, Da Lata e Trüby Trio. Bebel Gilberto estava definitivamente lançada para se tornar a figura de proa da bossa nova do século XXI. A nomeação para o Grammy latino, com Tanto Tempo, provava-o sem reservas.
Com a produção de Marius de Vries, ligado a trabalhos de Madonna, Annie Lennox ou Björk, o segundo registo da cantora (Bebel Gilberto, 2004) mostrava um amadurecimento de processos, desde logo pelo envolvimento de uma secção de cordas, e um compromisso maior de Babel como compositora, agora responsável por dois terços dos trechos do alinhamento. No seguimento deste álbum, e com mais de um milhão de discos vendidos, Bebel Gilberto foi distinguida com o prémio britânico Mobo na categoria de world music. Além dessa distinção, o disco dar-lhe-ia a segunda nomeação para um Grammy latino. Em paralelo com o que havia sucedido com o disco de estreia, também o segundo álbum viria a ser alvo de uma edição remisturada por gente célebre, entre eles os Thievery Corporation, Tom Middleton, Nuspirit Helsinki, Stuhr e Telefon Tel Aviv.
Voltando ao estúdio no final de 2006, a compositora trabalharia com quatro produtores distintos, em três cidades diferentes: em Londres, com Guy Sigsworth, no Rio de Janeiro com Kassin e em Nova Iorque com Sabina Sciubba e Didi Gutman (do projeto Brazilian Girls). Momento chegaria às lojas em 2007.
Discografia
1986, Bebel Gilberto (EP)
2000, Tanto Tempo
2001, Tanto Tempo Remixed
2004, Bebel Gilberto
2005, Bebel Gilberto Remixed
2007, Momento
Como referenciar: Porto Editora – Bebel Gilberto na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-16 03:49:21]. Disponível em