Beirute


Aspetos Geográficos
Cidade e capital do Líbano, Beirute situa-se nas duas margens do rio Beirute, protegida pelo Monte Líbano, na costa do Mediterrâneo. Fica a meio caminho ao longo da costa do país, tornando-a de fácil acesso a partir de qualquer lugar do Líbano. Principal porto do país, possui cerca de 1 350 000 habitantes (2005).

História e Monumentos Fundada pelos Fenícios no século XIV a. C., a cidade tornou-se um importante centro de comércio dos gregos e dos romanos. Era também famosa como local de erudição. No tempo das cruzadas, a cidade foi tomada pelo chefe muçulmano Saladino. Depois foi conquistada pelos turcos otomanos, no século XVI. Em 1918, foi tomada pelos franceses e tornou-se capital do novo estado do Líbano em 1920. A cidade desenvolveu-se como principal centro financeiro e comercial do Médio Oriente até ao início da luta entre fações rivais. Desde 1975 que a guerra civil e os invasores israelitas devastam a cidade, o que fez afastar o turismo e os agentes económicos. No final da guerra, em 1989, os cidadãos têm reconstruído a cidade que, pelo início do conflito Israel-Líbano em 2006, já tinha recuperado o seu estatuto de centro turístico, cultural e intelectual do Médio Oriente. Como principais monumentos podem-se destacar as Termas Romanas, a Catedral de São Jorge e outras igrejas e mesquitas.

Aspetos Turísticos e Curiosidades
Beirute possui 21 universidades, entre as quais se destacam a libanesa, a árabe, a de S. José e a americana em Beirute. É por vezes intitulada como a "Paris do Médio Oriente" em função da atmosfera cosmopolita que possuía antes da guerra civil do país. É sede de numerosas organizações internacionais: Comissão Económica e Social para a Ásia Ocidental, Nações Unidas e delegações regionais da Organização Internacional do Trabalho e da UNESCO. Em relação aos monumentos, destaque para o Museu da Universidade Americana, o Museu Sursock, a Gruta das Pombas, o Museu Arqueológico e a Praça dos Mártires. Beirute é uma das cidades com maior diversidade de religiões de todo o Médio Oriente: muçulmanos, cristãos (católicos, ortodoxos, protestantes e metodistas) e outros têm uma presença significativa. Os violentos conflitos de que tem sido palco não permitem o desenvolvimento do turismo, embora usufrua de um envolvimento muito favorável, entre o mar e montanha.


Economia
A cidade controla as principais vias rodoviárias e ferroviárias ao longo da costa, bem como as ligações que se dirigem para leste. Possui um porto franco e um mercado de ouro, prata e divisas. As suas principais indústrias incluem os têxteis, o vestuário, o calçado, a metalomecânica, os produtos alimentares e o mobiliário. Embora grande parte da vida económica da cidade tenha cessado com os confrontos permanentes - e consequente destruição de infraestruturas -, as pequenas empresas e oficinas continuam em funcionamento.
Como referenciar: Beirute in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-27 07:11:48]. Disponível na Internet: