Belona

Divindade da guerra, era uma das deusas primitivas romanas, de origem sabina. O seu nome deriva do latim bellum, guerra. No seu templo, realizavam-se as reuniões relativas aos atos bélicos e recebiam-se aqueles que tinham sido enviados como embaixadores a Roma. Quando o Estado romano entrava em guerra, era atirada uma lança em direção a uma coluna que se encontrava no recinto exterior do templo de Belona: esta coluna tinha o nome de "coluna da guerra".
Aparece tanto como mulher do deus da guerra, Marte, como sua irmã ou como uma versão romana da deusa Enio, originária da Grécia. As imagens conhecidas desta deusa mostram-na com traços faciais refletindo a ira, enquanto empunha instrumentos de morte como o gládio ou a lança, ou, em alternativa, uma tocha (que simboliza o fogo da destruição) e dirige um carro. Conta a lenda que Belona acompanhava o deus Marte durante as batalhas e que o carro que conduzia por entre os combatentes era o de Marte. Os gladiadores tinham uma função especial no culto a Belona.
Como referenciar: Porto Editora – Belona na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-20 06:29:01]. Disponível em