Bengo

Província a norte de Angola, cuja capital é a cidade de Caxito, com 24 600 habitantes (2004) surgiu no mapa geográfico somente em 1980, após a divisão da província de Luanda pelo decreto-lei 3/80 do Conselho da Revolução. Confinada pelas províncias angolanas de Uíge e Zaire (a norte), Kwanza Norte (a este), Kwanza Sul (a sul), Luanda (a oeste) e pelo oceano Atlântico (a oeste), a província de Bengo tem uma superfície de 33 016 km2 e uma população estimada em 198 000 habitantes (2004).
As suas principais atividades residem na atividade pesqueira e na agricultura. Quanto à primeira e graças à sua costa atlântica, captura-se, sobretudo na Barra do Dande e no Cabo Ledo, grandes quantidades de crustáceos (camarão e lagosta) e de cacusso, com o qual se produz um prato tradicional da gastronomia angolana (o mufete de cacusso). Relativamente à agricultura, produz-se, nos solos férteis da província, café, mandioca, algodão, abacate, ananás, sisal, dendê e cana-de-açúcar. De mencionar que o setor industrial é praticamente inexistente, como se constata pela destruição da Petromar - construção de plataformas em Ambriz, e da desativação das indústrias açucareiras e do algodão. No entanto, a produção de materiais de construção e a exploração da madeiras estão a permitir relançar a economia local. Para além destas, salientam-se já os recursos minerais da província, como caulino gesso, asfalto, calcário, ferro, quartzo, e a exploração do petróleo, esta feita pela empresa BP- Amoco.
A província de Bengo, padecendo diretamente dos efeitos da guerra e, consequentes deslocações populacionais, sofreu a destruição e o saque de várias infraestruturas, tais como habitações, pontes, unidades sanitárias e escolares, sistemas de abastecimento de água e de energia, entre outras. Para solucionar tais problemas, a região beneficia já de projetos de reabilitação e de formação, nomeadamente, para professores, como o projeto Escola de Professores do Futuro (em Caxito), e Escola de Artes e Ofícios para mulheres (em Ambriz), projetos com os apoios da ADPP (Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo), de organizações não-governamentais e de empresas.
A nível cultural, destaca-se alguns monumentos históricos, como a Fortaleza e a Igreja, ambos em Muxima, construções do tempo dos Descobrimentos portugueses. De salientar que o primeiro presidente de Angola, Agostinho Neto, que lutou pela independência do país, é natural da província de Bengo.
Como referenciar: Bengo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-18 06:41:18]. Disponível na Internet: