Bento de Sousa Carqueja

Professor, jornalista e publicista português, Bento de Sousa Carqueja nasceu a 6 de novembro de 1860, em Oliveira de Azeméis, no distrito de Aveiro.
Formou-se na Academia Politécnica do Porto, onde obteve o curso de Agricultura, em 1882, graças ao financiamento do tio Manuel de Sousa Carqueja. Durante esse período estudantil, o jovem colaborou com O Comércio do Porto, propriedade do tio que lhe deixou parte do jornal em herança.
Em 1884, foi nomeado professor da Escola Normal do Porto, onde lecionou as disciplinas de Agricultura e de Ciências Físico-Naturais. Nessa escola, criou não só os laboratórios de Fisiologia Vegetal e de Química Agrícola, como também o Jardim Botânico. Em 1898, foi lecionar na Academia Politécnica do Porto e, com a criação da Faculdade Técnica da Universidade do Porto (atual Faculdade de Engenharia), foi nomeado professor de Economia Política, de Contabilidade e de Legislação de Obras Públicas, em 1915. Em 1908, com o falecimento do seu tio, tornou-se coproprietário d'O Comércio do Porto, desempenhando um trabalho notável a vários níveis: promoveu a construção de três bairros operários no Porto, fundou quatros creches homónimas do jornal, impulsionou a compra do primeiro aeroplano que voou em Portugal, ao serviço das mencionadas creches, dinamizou e organizou as Escolas Móveis Agrícolas, financiadas por vários amigos que partilhavam do entusiasmo de Bento Carqueja.
De referir que Bento Carqueja integrou, em 1890, a Liga Patriótica do Norte, presidida por Antero de Quental, dirigiu o mensário O Lavrador, presidiu à Delegação do Comité Olímpico Português, representou Portugal no Congresso da Imprensa Mundial em Gotemburgo, em 1923, a convite do governo sueco, e proferiu diversas conferências sobre assuntos ligados à profissão.
Entre as suas obras, publicou A Liberdade de Imprensa (1893), Doenças da Videira (1894), O Imposto e a Riqueza Pública em Portugal (1898), O Futuro de Portugal (1900), O Capitalismo Moderno e as suas Origens em Portugal (1908), O Povo Português (1916), O Sol da Meia Noite (1923), Princípios da Economia Política (1926-1930, 5 volumes), A Luz do Cruzeiro (1929), entre outros.
Foi membro e sócio de prestigiadas instituições, tais como a Academia das Ciências de Lisboa, a Société Chimique, em Paris, a Société Belge d'Études et d'Expansion, em Liège, o Advisory Council oh the Stable Money Association, em Nova Iorque. Para além disso, recebeu várias condecorações nacionais e estrangeiras.
Bento de Sousa Carqueja faleceu a 2 de agosto de 1935, na Foz do Douro, no Porto.
Como referenciar: Bento de Sousa Carqueja in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 13:42:38]. Disponível na Internet: