Berberes

Proveniente da antiga Pérsia e de ascendência iraniana, o povo berbere ocupa hoje as regiões do Sara e do Sahel, do Norte de África. De origem controversa, os berberes apresentam três tipos físicos diferentes: o mediterrâneo, de pequena estatura, o anatólio e os berberes, rubros de tipo nórdico. Os berberes estão socialmente organizados em famílias do tipo patriarcal, as ikhs, de carácter monogâmico na sua origem mas atualmente polígamas depois da sua progressiva conversão ao islão, a partir do século VII. As ikhs formam aldeias que por sua vez formam distritos organizados politicamente através de conselhos liderados pelos chefes das famílias mais importantes. Inicialmente sedentários e dedicados à agricultura, sobretudo fruticultura e oleaginosas, tornaram-se nómadas durante algum tempo, havendo atualmente tribos com ambas as características. A cerâmica modelada manualmente pelo método da corda enrolada é uma das expressões artísticas de mais destaque junto das mulheres. Os diferentes idiomas berberes são os mais antigos do Norte de África, à exceção do copta, derivado da antiga língua egípcia, e são falados por cerca de seis milhões de pessoas entre as quais as tribos Azenegues e Tuaregues. Estas línguas não têm expressão escrita, tendo os berberes utilizado na comunicação escrita o púnico e o latim na antiguidade e mais tarde o árabe. A única exceção conhecida é a dos Tuaregues, que utilizam um alfabeto próprio, o tifinagh, derivado do alfabeto da antiga língua líbica. As diferentes línguas berberes partilham um sistema gramatical idêntico e incluem cerca de 50% de palavras de origem árabe. A sua literatura é predominantemente oral.
Os povos berberes são provavelmente dos habitantes mais antigos do Norte de África, tendo sido mencionados em documentos egípcios do quarto milénio antes de Cristo. Organizados em tribos e dedicando-se à caça e à criação de gado, a sua arte tinha uma expressão geométrica e a sua religião era animista e zoolátrica. Sabe-se que no século III a. C. existiam três reinos - Mouros, Masaeyles e Massyles - que foram unificados, tendo sido posteriormente incorporados no Império Romano. A Berberia foi política e culturalmente romanizada, convertendo-se ao cristianismo e produzindo notáveis figuras da Igreja, como Tertuliano e Santo Agostinho. A queda do Império Romano provocou o ressurgimento de reinos berberes que resistiram durante cerca de um século às invasões árabes iniciadas no século VII. À conversão ao islão, seguiu-se uma tentativa de fundação de dinastias corânicas, como os almorávidas e os almóadas, que se estenderam à Península Ibérica e fizeram parte da civilização do Al Andaluz. Os almóadas, entre os quais se incluem os filósofos Ibn Tofail e Averróis, foram responsáveis pelo mais belo período de arte islâmica no Ocidente, com destaque para a arquitetura, como é o caso do belíssimo Alhandra, em Granada.
Como referenciar: Berberes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-17 09:50:06]. Disponível na Internet: