Bibi Andersson

Atriz sueca, de nome completo Brigitta Andersson, nascida a 11 de novembro de 1935, na cidade de Estocolmo. Foi quando estudava no Teatro Real de Estocolmo que o famoso realizador sueco Ingmar Bergman a descobriu e a pôs à prova no seu filme Sommamattens Lende (Sorrisos de Uma Noite de verão, 1955), oferecendo-lhe um pequeno papel. Depressa ficou seduzido pela sua espontaneidade e pelo desejo que demonstrava em querer dar o seu melhor. Bibi Andersson passou a desempenhar papéis importantes noutros filmes de Bergman, como Det Sjunde Inseglet (O Sétimo Selo, 1957), Smultronstället (Morangos Silvestres, 1957), Nara Livët (No Limiar da Vida, 1957), pelo qual recebeu o Prémio de Melhor Interpretação Feminina no Festival de Cannes de 1958, ou Persona (1966). Participou também num episódio da série que Bergman realizou para televisão, Scener ur ett Äktenskap (Cenas da Vida Conjugal, 1973). Através da mestria deste realizador, Bibi Andersson mostrou todo o seu talento a interpretar papéis de personagens com grande densidade psicológica. A partir dos anos 60, a atriz passou a trabalhar com outros realizadores, não só europeus mas também americanos. Em 1962, ganhou o Prémio de Melhor Interpretação Feminina no Festival de Berlim, pelo seu desempenho no filme sueco Älskarinnan (1962). Contando com mais de 80 papéis desempenhados ao longo da sua carreira de atriz, Bibi Andersson continuou ativa no mundo do cinema e da televisão.
Como referenciar: Bibi Andersson in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-21 18:47:45]. Disponível na Internet: