Big Crunch

Em cosmologia, o Big Crunch consiste na hipótese de o Universo sofrer um colapso após a sua eventual expansão terminar, sendo no fundo uma antítese do Big Bang.
Para tal acontecer, a atração gravitacional de toda a matéria num horizonte observável atingiria um valor suficiente que tornaria a curvatura espacial do Universo positiva, diminuindo a expansão do Universo e depois revertendo-a. Deste modo, o Universo contrair-se-ia, durando essa contração o mesmo tempo da expansão.
Toda a energia e matéria seriam comprimidas até se atingir a gravidade zero.
Este processo ocorrerá à medida que as grandes estrelas, como o Sol, gastarem todo o seu combustível, libertando, assim, toda a energia gravitacional e fazendo com que os aglomerados de galáxias se misturem, provocando grandes atrações gravitacionais entre estrelas.
Toda a matéria ficará mais próxima, a temperatura do Universo aumentará, fazendo explodir as próprias estrelas, gerando buracos negros até que tudo se concentre num único ponto com temperatura e densidade infinitas.
Como referenciar: Big Crunch in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-25 14:07:10]. Disponível na Internet: