BMW

A marca alemã BMW (iniciais de Bayersiche Motoren Werke) foi formada em 1916, como resultado da fusão de duas fábricas do setor da aviação. A própria BMW começou por dedicar-se à construção de motores para aviões, passando depois para o fabrico de travões para carros elétricos.

Em 1920, foi adotado o logotipo que a marca ainda utiliza atualmente, baseado no desenho de um motor de avião. Dois anos mais tarde, a BMW voltou a fabricar motores para aviões e, no ano seguinte, concebeu e produziu a primeira moto, a R32, com um motor de dois cilindros e 494 cc. A moto, que atingia os 95 km/hora, esteve três anos em produção e foram vendidas mais de 3000 unidades.

Em 1928 iniciou a produção de automóveis, através do modelo Dixi 3/15 PS. O modelo, construído sob licença da Austin, era semelhante ao Bantam (norte-americano) e ao Datsun (japonês). No ano seguinte, foi lançada uma versão melhorada, o DA2, que em 1930 ganhou pela primeira vez para a marca uma corrida de automóveis.

Em 1932 foi lançado o AM 4 ou 3/20 PS para substituir o Dixi, tendo sido o primeiro modelo construído integralmente pela BMW. No ano seguinte surgiu no mercado o modelo 303 saloon, o primeiro da marca com motor de seis cilindros em linha. Foi neste modelo que surgiu pela primeira vez a grelha frontal que ainda hoje aparece nos carros da marca alemã.

Em 1934 a BMW apresentou ao público o desportivo 328, que se tornou bastante popular. Apesar de ter sido originalmente concebido para corridas acabou por ser também vendido ao público em geral.

Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a BMW construiu motores para aviões militares e mísseis. Após a guerra, ficou praticamente falida, já que as suas fábricas foram quase todas destruídas pelos bombardeamentos das forças aliadas. Para além disso, os Aliados impediram a marca de laborar durante três anos.

Só em 1951 a BMW voltou a apresentar um automóvel novo, o luxuoso 501, que no entanto foi um fracasso de vendas. Quatro anos depois, a marca alemã voltou-se para os mini-carros ao lançar o Isetta 250, que tinha uma porta na frente e usava um motor de moto, de 245 cc. Em 1956 lançou o mítico BMW 507, com capota amovível.

Em 1962 foi dado início a uma nova era na BMW com o 1500, que esteve na base dos modelos 1500, 1600, 1800, 2000, carros nomeados de acordo com a cilindrada, que no total venderam mais 330 mil unidades. Em 1972 foi lançada a série 5, em 1975 a série 3 (mais pequenos) e em 1977 a série 7 (maiores). Ao longo dos anos, nestas séries foram sendo introduzidas remodelações e melhoramentos.

Refira-se que em 1990 a BMW voltou a fabricar motores para aviões, juntamente com a Rolls Royce de Inglaterra.

Em 1994 a BMW comprou o grupo Rover, da Grã-Bretanha, que depois de recuperado financeiramente foi vendido em 2000. No entanto a BMW manteve os direitos para fabricar o novo Mini, lançado em 2002.

Em 1998 comprou a marca de automóveis de luxo Rolls Royce ao grupo Volkswagen. Entretanto continuou a desenvolver as bem sucedidas séries 3, 5 e 7.

Em 1999, para comemorar o 50.º aniversário do modelo 507, a marca alemã lançou o Z8. Este carro viria a ser uma das estrelas do filme The World Is Not Enough (O Mundo Não Chega) protagonizado por Pierce Brosnan, no papel de James Bond. Em 2001 lançou o X5, o seu primeiro SUV (sport utility vehicle), baseado na plataforma do série 5. Dois anos mais tarde, estendeu esta filosofia à série 3 nascendo assim o X3.

A série Z, nascida em 1987 com o lendário Z1, evoluiu na segunda metade da década de 90 para a versão Z3, o primeiro BMW a ser montado nos Estados Unidos da América. Em 2003 apresentou o Z4 e no ano seguinte, lançou-se no segmento dos pequenos familiares com a série 1.

 

Como referenciar: BMW in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-28 17:27:44]. Disponível na Internet: