Bolsa de Derivados

Mercado bolsista organizado, em tudo semelhente à Bolsa de Valores, mas em que se transacionam não valores mobiliários mas antes produtos derivados (tomam este nome porque o ativo que se transaciona não são eles próprios mas um outro ativo). Os principais (embora não os únicos) contratos de derivados são os contratos de futuros e os de opções.
Um futuro é um contrato em que o vendedor se compromete a entregar ao comprador um dado ativo (em quantidade e qualidade pré-determinadas), numa data futura e a um preço acordado à data da celebração do contrato, tendo o comprador que pagar a quantia estabelecida.
Uma opção é um contrato no qual uma das partes obtém o direito (mas não a obrigação) de comprar ou vender uma dada quantidade e qualidade de um ativo numa data futura, a um preço fixado quando se firma o contrato. Se o comprador entender que deve exercer o contrato (isto é, comprar ou vender no final do prazo acordado), o vendedor é obrigado a cumprir o que lhe é exigido (a vender ou a comprar, respetivamente). Isto é, uma opção é um contrato assimétrico, na medida em que uma das partes (o comprador) fica claramente em situação de superioridade em relação à outra (o vendedor), já que o primeiro tem o direito de exercer o contrato, enquanto este tem o dever de efetuar a contra-prestação, se o comprador assim o entender.
Se uma opção dá ao seu vendedor o direito de vender um dado ativo, trata-se de uma opção de venda (uma put option, na terminologia anglo-saxónica). Inversamente, se lhe confere o direito de vir a comprar algo, é uma opção de compra (uma call option).
Existem contratos de futuros e opções sobre os mais variadíssimos ativos: desde mercadorias (produtos agrícolas, metais preciosos, produtos energéticos, etc.) a ativos intangíveis (como divisas, índices de ações, taxas de juro), passando por futuros e opções sobre ações e outros títulos usualmente transacionados nas Bolsas de Valores.
De entre as inúmeras Bolsas de Derivados espalhadas pelo mundo inteiro, as mais importantes (em volume de transações) são o Chicago Board of Trade, o Chicago Mercantile Exchange e o New York Mercantile Exchange.
No caso português, a única entidade desta natureza é a Bolsa de Derivados do Porto (BDP). Nascida em 1996, apresenta atualmente transações em três contratos de futuros: o contrato PSI-20 (índice de ações do mercado de cotações oficiais), o OT-10 (taxas de juro de longo prazo) e o LISBOR (taxas de juro de curto prazo).
Como referenciar: Bolsa de Derivados in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-24 06:36:53]. Disponível na Internet: