Artigos de apoio

Bonifácio VIII

Papa italiano, chamado Benito Gaetani, pertencia a uma família nobre de Anagni, onde nasceu por volta do ano 1240. Estudou com o seu tio, bispo de Todi, e em Bolonha, sendo formado tanto em Direito Canónico como em Direito Civil. Elaborou também, enquanto cardeal, a ata de abdicação de Celestino V, o que lhe valeu a antipatia dos partidários deste pontífice.
Eleito papa em 24 de dezembro de 1294, a sua consagração efetuou-se em Roma, a 23 de janeiro de 1295. Governou até 12 de outubro de 1303.
Antipatizando com os franceses, destituiu os sete cardeais da cúria desta nacionalidade que tinham sido nomeados pelo seu antecessor sob influência de Carlos II de Anjou. De igual forma, declarou as disposições de Celestino V inválidas. A guerra entre França e Inglaterra pela posse da Guiena (França) fez com que os respetivos reis aumentassem os tributos, para fazer face às despesas. Tendo-se queixado o clero ao Santo Padre, este emitiu a bula Clericis laicos (24 de abril de 1296), onde se penalizava quem cobrasse impostos aos clérigos sem autorização de Roma. Pouco depois, o rei Filipe IV de França proibiu que saíssem do país as letras de câmbio, o metal e as moedas, para fazer face às ditas despesas. Mas Bonifácio pensou que a privação de um dos maiores rendimentos da Santa Sede era uma afronta pessoal. Contudo, devido às privações monetárias, acabou mais tarde por declarar inclusivamente que a bula não seria aplicada em França.
Entretanto, o papa rivalizava em Roma com a família Colonna (apoiada pelos franciscanos), numa disputa onde se misturavam motivos políticos com causas espirituais.
Recrudesceram, a partir de 1295, os conflitos com o rei francês, tendo o papa chegado a ser acusado de heresia e ilegitimidade e o rei excomungado. O grave conflito, em cuja origem estava a colisão da vontade de supremacia temporal e espiritual do rei e do papa (que a vincou bem na bula Unam Sanctam, de novembro de 1302), prolongou-se até à morte de Bonifácio. Esta foi ainda precedida de uma atentado à sua pessoa, em Anagni, tendo escapado do cativeiro com auxílio dos cidadãos desta cidade.
Bonifácio emitiu outra bula em 1300, conhecida como Antiquorum habet fidem, e onde o dito ano era declarado santo e se outorgava a plena indulgência a quem fosse a Roma visitar os túmulos de São Pedro e de São Paulo, o que provocou uma enorme afluência de fiéis e, consequentemente, de dinheiro. Instituía-se assim a tradição do Jubileu romano, que se mantém ainda hoje e congrega a Cristandade na direção de Roma e do túmulo de Pedro.
Entre outras disposições, este pontífice declarou que os mendicantes necessitariam da autorização do bispo para confessar, dos párocos para pregar em igrejas que não as suas e que, no caso de oficiarem enterros, um terço do direito de estola ficaria na paróquia do falecido. Elaborou também o Liber Sextus, uma coletânea de normas (que foi agregada às Decretais de Gregório X).
Como referenciar: Bonifácio VIII in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-09-20 13:19:14]. Disponível na Internet: