Boris Karloff

Ator britânico cuja imagem ficou para sempre ligada aos inúmeros filmes de terror que protagonizou. De seu nome verdadeiro William Henry Pratt, nasceu a 23 de novembro de 1887, em Londres. Aos 10 anos, estreou-se no teatro numa peça infantil de Natal, ironicamente debaixo de um fato de monstro. Em 1909, emigrou para o Canadá, onde, depois de trabalhar como vendedor, conseguiu entrar para uma companhia teatral, adotando aí o nome artístico. Viajou para os Estados Unidos, onde se estreou como figurante em filmes mudos. A sua primeira grande interpretação deu-se no filme The Bells (1926), ao lado do consagrado Lionel Barrymore. Mas o filme que lhe mudou a vida foi Frankenstein (1931), filme de terror de James Whale, onde Karloff interpretou a figura do monstro criada por Mary Shelley. Mesmo depois de ter trabalhado com realizadores consagrados como Howard Hawks, em Scarface (1932), e John Ford, em The Lost Patrol (A Patrulha Perdida, 1934), Karloff ficou condenado a personificar papéis grotescos em filmes de terror, muito deles de qualidade duvidosa. Já no final da sua carreira, em Targets (Alvos, 1968), interpretou um papel levemente baseado no seu próprio mito: um velho ator de filmes de terror que se quer reformar e que é confrontado com um jovem sniper que mata inocentes do alto de um edifício. Karloff recebeu boas críticas pela sua prestação neste filme de Peter Bogdanovich. Um enfisema pulmonar causou a sua morte em 2 de fevereiro de 1969.
Como referenciar: Boris Karloff in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-26 01:10:42]. Disponível na Internet: