borracha

A borracha é um macropolímero orgânico formado por vários milhares de radicais de isopreno por molécula. Estas unidades estruturais de isopreno têm cada uma duas ligações duplas às quais podem ser adicionados outros átomos. Assim, por exemplo, por adição de enxofre obtém-se a borracha vulcanizada e, por adição de cloro gasoso, a borracha clorada.
A borracha em bruto é a seiva leitosa coagulada (látex) de algumas espécies vegetais que crescem nas regiões tropicais, pertencendo sobretudo à família das Euforbiáceas. A árvore havea brasiliensis fornece a borracha-do-pará, que constitui cerca de 99% da borracha natural que é manipulada em todo o mundo, sendo, além disso, a que apresenta melhores propriedades. Entre as plantas produtoras de borracha contam-se também diversas moráceas (borracha-de-assam), apocináceas (borracha-de-seda) e a espécies dente-de-leão.
Seca, a borracha é mole e elástica, insolúvel na água e aumenta de volume com relativa facilidade por ação da humidade.
A borracha começou a ser utilizada pelos povos da América Central e América do Sul para confeção de sapatos, garrafas e bolas. Em meados do século XVIII a Europa teve conhecimento com exatidão das propriedades da borracha. Nos finais do século XVIII começaram-se a fabricar tubos com este material e no século XIX foi descoberta a sua propriedade de apagar os traços do lápis de grafite. Mais tarde iniciou-se a fabricação de objetos de borracha utilizados em medicina.
Atingiu-se o ponto culminante da utilização da borracha quando o americano Charles Goodyear introduziu o processo da vulcanização (1839-1840). Atingido o auge das indústrias de transformação da borracha (pneus de automóvel e bicicleta, artigos de todos os tipos) aumentou tanto a procura deste material que se impôs a cultura metódica das árvores da borracha.
O látex é uma emulsão com cerca de 37,5% de borracha e cerca de 60% de água, que se obtém de espécies arbóreas por sangria do caule e, se se trata de espécies arbustivas, triturando as partes da planta que contêm borracha e extraindo-a de seguida. As espécies do género havea, que são cultivadas nas plantações, necessitam de 3 a 5 anos para atingirem a maturidade necessária para a sangria. Depois de um período de sangria deve seguir-se sempre um período de repouso com a mesma duração.
O látex recolhido é centrifugado e coagulado com ácidos orgânicos. A massa coagulada é posteriormente laminada.
Fabricam-se faixas, placas de secagem a fumo e pó obtido mediante a secagem por pulverização. Além disso, também se destina algum látex líquido à exportação e a certas utilizações, como por exemplo, pinturas para proteção de edifícios.
A utilização da borracha é muito variada. Depois da vulcanização, é usada para fabricar pneus de automóveis e aviões, tubos flexíveis, juntas, impregnações, artigos médicos, correias de transmissão, pavimentos, entre outras aplicações, num total de cerca de 50 000 artefactos diferentes.
A ebonite (borracha endurecida) obtém-se por vulcanização intensa e uma elevada adição de enxofre (30-35%). A borracha mole obtém-se através de uma pequena adição de enxofre (até 4%). A borracha sintética (produto artificial de propriedades semelhantes à da borracha) fabrica-se principalmente nos EUA, no Japão e na Alemanha.
Como referenciar: borracha in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-24 21:45:39]. Disponível na Internet: