Braille

Método universal de escrita e leitura para cegos, inventado por Louis Braille, um pedagogo francês nascido no início do século XIX.

Ainda muito novo perdeu a visão, como consequência de uma brincadeira na oficina do seu pai. Aos sete anos foi enviado para o Instituto de Hauy, uma escola destinada à educação dos cegos e à sua preparação profissional, onde, uns anos mais tarde, acabaria por lecionar. Instigado por um seu conhecido, começou a desenvolver um método que permitisse não só a leitura mas também a escrita aos cegos.
O alfabeto Braille, nome por que ficou conhecido, é um sistema de representação de letras, símbolos musicais, números e símbolos matemáticos através de pontos em relevo, marcados em papel ou outro material, que podem ser lidos pelo tato. Cada carácter é representado por um conjunto de seis pontos, organizados em duas colunas de três.

A sua invenção revolucionou a educação dos cegos, na medida em que lhes facultou o acesso à escrita e à leitura.

Hoje em dia, o sistema Braille, divulgado por volta de 1837 e praticamente inalterado até à atualidade, é usado em todo o mundo. Há livros e revistas publicados em braille, máquinas de escrever próprias, etc.

A 4 de janeiro, comemora-se o Dia Mundial do Braille.
Como referenciar: Braille in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-13 22:09:28]. Disponível na Internet: