Brian De Palma

Realizador norte-americano, nascido a 11 de setembro de 1940, em Newark, de nome completo Brian Russell De Palma, tem sido um realizador bastante controverso. Os seus filmes denotam frequentemente um carácter extremamente voyeurista, que pode chegar a ser atormentador, onde o suspense se mistura com a violência. Tendo desistido do curso de Física, De Palma decidiu que a sua vocação era o cinema. Uma das suas fontes de inspiração é, assumidamente, a obra do grande mestre do suspense, Alfred Hitchcock, que começa por marcar o seu percurso cinematográfico. Iniciou-se com algumas produções independentes, três das quais contam com a participação de Robert de Niro em início de carreira. Uma dessas três, Greetings (Olá, América, 1968), conquistou o Urso de Prata no Festival de Berlim de 1969. Foi em 1976 que alcançou, finalmente, sucesso comercial com Carrie (1976), um filme de terror baseado na obra de Stephen King que conta a história de uma adolescente com poderes telecinéticos. Contudo, o seu filme Dressed to Kill (Vestida para Matar, 1980), nitidamente inspirado na obra-prima de Hitchcock, Psycho (1960), foi recebido com fortes reações pela crítica. Também realizou, em 1983, uma nova versão do clássico dos anos 30, Scarface, com Al Pacino como protagonista . Em 1987, o cineasta dirigiu aquele que viria a ser, até à data, o seu maior êxito comercial, The Untouchables (Os Intocáveis), uma história de gangsters passada nos conturbados anos 20, quando Al Capone governava o submundo de Chicago, e que conta com a participação de Kevin Costner, Robert de Niro, Sean Connery e Andy Garcia, entre outros. Aventurou-se noutra grande produção, The Bonfire of the Vanities (A Fogueira das Vaidades, 1990), baseado no best-seller homónimo de Tom Wolfe e que acabou por não resultar no sucesso que se esperava e ao qual nem os nomes de Tom Hanks, Bruce Willis, Melanie Griffith e Morgan Freeman valeram. Em 1993, voltou a escolher Andy Garcia para o seu filme Carlito's Way (Perseguido Pelo Passado,1993). Tendo estado bastante apagado na primeira metade dos anos noventa, Brian De Palma dirigiu em 1996 um projeto que, desta vez, tinha tudo para não falhar - a versão para cinema da famosa série de televisão Mission: Impossible (Missão Impossível), com o famosíssimo Tom Cruise no principal papel. A esta lucrativa missão seguiram-se o thriller Snake Eyes (Os Olhos da Serpente, 1998), com Nicolas Cage, o filme de ficção científica Mission to Mars (Missão a Marte, 2000), o policial Femme Fatale (Mulher Fatal, 2002), com António Banderas, e o drama The Black Dahlia (A Dália Negra, 2006) que, baseado num caso verídico, contou com Josh Hartnett, Aaron Eckhart, Scarlett Johansson e Hilary Swank nos papéis principais.

Como referenciar: Brian De Palma in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-19 22:47:52]. Disponível na Internet: