Bulgária

Geografia
País do Sudeste da Europa. Situado nos Balcãs, na costa do mar Negro, abrange uma área de 110 910 km2. A Bulgária está limitada pela Roménia, a norte; pelo mar Negro, a leste; pela Turquia, a sudeste; pela Grécia, a sul; pela Macedónia, a sudoeste, e pela Sérvia, a oeste. As cidades mais importantes são Sófia, a capital, com 1 161 300 habitantes (2004), Plovdiv (714 200 hab.) (2004), Varna (460 100 hab.) (2004), Burgas (421 500 hab.) (2004), Ruse (264 800 hab.) (2004) e Pleven (310 300 hab.).

Clima O clima é temperado continental, no Norte e no Noroeste, com invernos frios, e mediterrânico, no Sudeste, com invernos mais suaves e verões quentes e secos.

Economia
A economia da Bulgária baseia-se na indústria, que sofreu uma forte modernização nos últimos anos. As principais produções industriais são os materiais de construção, o aço, os adubos, o papel, os têxteis, a cerveja, o vinho e os eletrodomésticos. O país não dispõe de abundantes recursos naturais, sendo apenas de realçar a produção de lignite. Na agricultura, além dos cereais, são também cultivados o girassol e a batata. O turismo, em especial no litoral do mar Negro, constitui uma importante fonte de receitas. Os principais parceiros económicos da Bulgária são a Rússia, a Alemanha, a Itália e a Turquia.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas,1999), é de 5,1.

População
A Bulgária possui uma população de 7 385 367 habitantes (est. 2006), o que corresponde a uma densidade de aproximadamente 67,17 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 9,65%o e 14,27%o. A esperança média de vida é de 72,3 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,795 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,794 (2001). A população de origem búlgara representa 83,6%, sendo os Turcos 9,5%, os ciganos 4,6% e outros 2,3% (1998). As religiões com maior expressão são a ortodoxa (87%) e a muçulmana (13%). A língua oficial é o búlgaro.

História
Depois dos Bizantinos, os Turcos Otomanos dominaram o território durante cinco séculos. Durante a guerra entre os Russos e os Turcos, entre 1877 e 1878, surgiu um forte movimento nacionalista. No final da guerra, a Rússia impôs à Turquia o Tratado de San Stefano, segundo o qual a Bulgária passou a ser praticamente independente, cobrindo quase três quintos da Península Balcânica. Os países vizinhos não concordaram com o tratado e, nesse ano, no Congresso de Berlim, autorizaram a autonomia de apenas uma pequena parcela de território, que correspondia à parte central entre os Balcãs e o Danúbio. Em 1885, Fernando tornou-se Príncipe da Bulgária e declarou a independência do território. Algum tempo depois, o príncipe búlgaro uniu a Grécia, a Sérvia e o Montenegro ao seu país, formando a Liga Balcânica, que conquistou aos Turcos a Macedónia e a Trácia, na Primeira Guerra Balcânica, entre 1912 e 1913. Entretanto, Fernando ficou insatisfeito com a pequena porção da Macedónia, que recebeu como pilhagem, e precipitou-se na Segunda Guerra Balcânica, entre junho e agosto de 1913, contra a Turquia e a Roménia. A Bulgária perdeu a guerra, bem como grande parte do território que tinha conquistado na primeira guerra. Esse facto representou o fim da expansão territorial búlgara. Embora Fernando se tenha colocado ao lado dos países mais fortes, durante a Primeira Guerra Mundial, com o objetivo de recuperar a Macedónia, a derrota do país em 1918 forçou o príncipe a abdicar a favor do filho, Boris.
Seguiram-se anos de crise económica, de extremismo político e de violência, o que levou Boris a instalar uma ditadura real. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Bulgária colocou-se ao lado da Alemanha, mas, mais uma vez, a tentativa de expandir o território saiu falhada. Em 1944, o comunismo chegou ao poder, depois de uma invasão do Exército Vermelho Soviético. Em 1946, um plebiscito aboliu a monarquia e estabeleceu uma república democrática, que, mais tarde, passou a ser dominada pelo Partido Comunista Búlgaro. Seguiram-se as expropriações estatais da indústria e a coletivização dos solos agrícolas. Sob as lideranças sucessivas de Georgo Dimitrov, Vulko Chervenkov e Todor Zhivkov, a Bulgária transformou-se num país predominantemente urbano e industrial e manteve-se firmemente ligado à União Soviética.
Em 1989, a onda de democratização do leste europeu também se fez sentir na Bulgária. As eleições multipartidárias de 1990 deram a vitória ao Partido Socialista (a nova designação do anterior Partido Comunista). Mas, nas eleições de 1991, a União das Forças Democratas chegou ao poder e formou o primeiro governo democrata da Bulgária desde 1946.
A 14 de dezembro de 1995, a Bulgária efetuou oficialmente o pedido de adesão à União Europeia, facto que se veio a concretizar a 1 de janeiro de 2007.
Como referenciar: Bulgária in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-21 19:28:48]. Disponível na Internet: