caduceu

O caduceu é a representação de duas serpentes enroscadas num bastão que termina com duas asas. Esta imagem, que simboliza o poder de curar e de ressuscitar, é encontrada na Antiguidade em civilizações dispersas pelo Mundo, desde a Mesopotâmia à Índia, à Grécia e às Américas, entre os astecas. Ainda hoje este símbolo está universalmente associado à profissão e à ciência médica.
A simbologia das duas serpentes é também ela dual: significa as duas polaridades, o bem e o mal, a esquerda e a direita, a noite e o dia. Mas o mais importante é que essa diferença representa também um equilíbrio pelo controlo das forças contrárias realizado pelo eixo do universo simbolizado pelo bastão. O mito do caduceu remonta ao início do Mundo, em que duas serpentes lutam durante o caos para serem isoladas pelo bastão, ou árvore da vida, que as segura e divide para assegurar a ordem e a criação. Assim, pode-se igualmente considerar que o caduceu é um símbolo de paz.
A representação do caduceu é muito antiga e remonta à antiga Mesopotâmia, onde as duas cobras ou a cobra dupla enroscada à volta de um bastão era a representação do deus consorte de Ishtar, responsável pela cura. Na Grécia, era o símbolo de Asclépios, protetor dos médicos e deus da medicina, e, também, o atributo de Hermes, deus da astronomia e da agricultura, que o recebeu na qualidade de condutor das almas e que com ele podia ressuscitar os mortos e trazê-los de volta à terra. A simbologia de Hermes foi transposta para o deus Mercúrio de Roma, onde o caduceu significava a moralidade e uma conduta correta. Na antiga Índia, este símbolo já se encontrava gravado em pedra milhares de anos antes de Cristo e faz parte da tradição brâmane. No tantrismo, o caduceu corresponde, no bastão, ao eixo do mundo e também à coluna vertebral humana com os seus chakras, e, através das serpentes, corresponde à energia pura feminina kundalini, responsável pela evolução dos seres humanos. Em muitas tradições indo-europeias, o caduceu é um símbolo de fecundidade, dada a simbologia da serpente como energia sexual e do bastão como símbolo sexual. Para a tradição alquímica, o caduceu é o cetro de ouro de Hermes, o deus da alquimia, com duas serpentes enroladas que significam o frio e o quente, o enxofre e o mercúrio, o húmido ou o seco. Na medicina, o caduceu significaria a saúde através da justa medida e do equilíbrio dos desejos, a harmonia emocional, da alma e do corpo.

Como referenciar: caduceu in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-08 19:36:41]. Disponível na Internet: