cálcio

O cálcio (Ca) é um elemento químico pertencente ao grupo dos metais alcalinoterrosos, bivalente, de cor branco-prateada, mole, e localiza-se no grupo 2 e período 4 da Tabela Periódica.
Possui número atómico 20 e massa atómica 40,078.
O cálcio como substância elementar foi isolado pela primeira vez em 1808 em Londres, Inglaterra, pelo químico inglês Sir Humphrey Davy (1778-1829) por eletrólise.
O nome cálcio deriva do latim calx que significa cal.
Na Natureza, o cálcio não se encontra em estado livre, mas sob a forma de compostos. É o quinto elemento mais abundante da crusta terrestre, da qual representa 3,4%. Aparece sob a forma de calcário, cré e mármore, como a dolomite (carbonato de cálcio e magnésio, CaCO3-MgCO3), o gesso e a anidrite (CaSO4), e sob a forma de silicatos de cálcio e silicatos duplos, como a fosforite, a apatite (fosfato de cálcio) e a fluorite ou espatofluor.
O cálcio obtém-se por eletrólise do cloreto de cálcio fundido.
Um dos compostos mais importantes do cálcio é o seu óxido (CaO). Obtém-se industrialmente em grandes quantidades por calcinação de calcário (carbonato de cálcio). Neste processo liberta-se dióxido de carbono e fica um resíduo de óxido de cálcio, denominado de cal viva.
A cal viva usa-se como matéria-prima para preparar morteiros. Também é usada para a obtenção de outro composto importante, o carboreto de cálcio, com frequência chamado simplesmente carboreto. O carboreto de cálcio prepara-se aquecendo uma mistura de cal e coque num forno de arco elétrico.
O carboreto de cálcio é uma massa negra-acinzentada que se utiliza na obtenção de acetileno que, por sua vez, é uma matéria-prima para elaborar numerosos compostos orgânicos, como o ácido acético, o álcool, o aldeído acético e vários polímeros sintéticos. Do carboreto de cálcio obtém-se também a cianamida de cálcio (CaCN2), um adubo importante.
A água, na Natureza, não é H2O puro. Na realidade, contém diversos sais dissolvidos em diferentes concentrações. Uma parte importante destes sais é o bicarbonato de cálcio (Ca(HCO3)) e sulfato de cálcio (CaSO4). Quanto maior for a concentração destes sais, tanto mais dura é a água. Para traduzir a dureza da água, determina-se o peso dos iões de cálcio que contém.
Ao ferver a água, o bicarbonato de cálcio, solúvel, transforma-se em carbonato de cálcio (CaCO3), insolúvel, que precipita. Por este motivo, os recipientes onde se ferve a água costumam apresentar uma camada de carbonato de cálcio, o sarro. Pelo contrário, o sulfato de cálcio não se altera com a ebulição e continua dissolvido na água (dureza permanente). Pode tornar-se menos dura uma água fazendo-a passar através dos chamados permutadores de iões.
O cálcio é um elemento muito importante para a vida animal. O corpo de uma pessoa adulta contém normalmente cerca de 1,5 kg deste elemento, localizado especialmente nos dentes e ossos. O cálcio também desempenha um papel importante em algumas reações bioquímicas e contribui para a regulação da frequência cardíaca. É um dos intervenientes na regulação da coagulação sanguínea e é um dos responsáveis pelo transporte dos impulsos nervosos que fazem com que os músculos do corpo humano se contraiam.
É também usado em ligas e na produção de zircónio, urânio e metais das terras raras.
Como referenciar: Porto Editora – cálcio na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-23 16:37:26]. Disponível em