Calvin & Hobbes

Série de banda desenhada criada por Bill Watterson, nos Estados Unidos da América.
As personagens desta série devem os seus nomes a dois grandes pensadores europeus: João Calvino, teólogo do século XVI e Thomas Hobbes, filósofo do século XVII.
Calvin é um menino de seis anos muito irrequieto, filho único, que brinca com o seu inseparável tigre de peluche, Hobbes, que "ganha" vida sempre que os dois estão sozinhos. Juntos conseguem construir mundos diversos, graças à sua prodigiosa imaginação, levando Calvin a encarnar os inesquecíveis papéis do Astronauta Spiff, do Homem Estupendo, do detetive Tracer Bullet, das suas mutações em animais monstruosos (sobretudo em dinossáurio), do explorador dos safaris, do cowboy, sem esquecer as aventuras com os monstros debaixo da cama ou com os bonecos de neve muito criativos e cáusticos, que lhes permitem extravasar o dia a dia.
Calvin & Hobbes apresenta ainda uma importante faceta contemplativa, com muitas interrogações existencialistas e uma crítica ao comportamento do Homem em relação à Natureza.
Ao nível da realidade que o rodeia, Calvin pertence a uma família de classe média, em que o pai trabalha num escritório e a mãe é doméstica, dotada de uma paciência quase sem limites para ultrapassar as provas a que, constantemente, é submetida pelo filho. O seu tigre de peluche aos olhos dos outros é isso mesmo, um tigre de peluche, mas a realidade, apenas compartilhada com os leitores, é que Hobbes não só é a consciência crítica de Calvin como também um predador nato, que adora sandes de atum!
Os deveres escolares e domésticos, em particular a sempre complexa arrumação do quarto, as horas passadas a ver televisão, o "horripilante" banho ou as "cenas" protagonizadas com as refeições são apresentadas de modo sempre inovador ao longo da série.
O brutamontes do Moe, colega da escola especialista em extorquir dinheiro, a Susie Derkins, a menina exemplar com quem Calvin tanto se pega, a ama Rosalyn, a única pessoa que, verdadeiramente, põe Calvin em "sentido", e a professora Miss Wormwood, exemplo de dedicação à causa da instrução e de infinita paciência, são as principais personagens secundárias da série.
Para além de apresentar uma extraordinária dinâmica, o desenho vivo e alegre, a que não faltam expressões faciais cuidadas ao pormenor e cenários sempre muito bem construídos, constituem algumas das "receitas" que ajudam a explicar a constante popularidade da série.
Depois de Bill Watterson apresentar sem sucesso várias séries para publicação na imprensa, em 1985 a proposta de Calvin & Hobbes é aceite pela agência Universal Press Syndicate. Deste modo, a série surgiu em tiras diárias a preto e branco pela primeira vez a 18 de novembro de 1985, em 35 jornais. Ao fim de um ano o sucesso era já garantido com cerca de quatro centenas de jornais de todo o Mundo a publicar a sua série. Acabada a série em 1995 por decisão do autor, a 31 de dezembro a última página dominical surgiu em 2400 jornais de todo o Mundo, sendo apontada como uma das mais importantes bandas desenhadas do século XX.
Facto assinalável é a recusa, por parte de Bill Watterson, de utilizar as personagens em qualquer tipo de produtos derivados; autorizou apenas a que se visse a sua criação nas páginas de jornais ou nos livros que compilam o material publicado na imprensa diária, estando os seus álbuns editados em várias línguas.
Em Portugal, o jornal Público publicou a série desde a sua fundação, a 5 de março de 1990, com uma tira diária na última página e uma página a cores na revista dominical. Mesmo depois de terminada a série, e tendo o jornal sugerido aos leitores publicar uma outra BD nos mesmos moldes (tira diária), a opção recaiu na repetição das tiras já publicadas, que deste modo são (re)descobertas todos os dias.
Por seu turno, a editora Gradiva tem apresentado, desde 1992, todos os livros de Calvin & Hobbes, seguindo a edição original.
De entre essas edições, merecem destaque Parabéns, Calvin & Hobbes, livro comemorativo do 10.º aniversário, com textos introdutórios e comentários do próprio Bill Watterson e a antologia Plácidos Domingos, com uma seleção das histórias dominicais a cores dos primeiros anos.
O Essencial de Calvin & Hobbes, com páginas de BD a cores inéditas, O Indispensável de Calvin & Hobbes, com versos e ilustrações inéditos, Calvin & Hobbes - A Última Antologia, com uma história inédita, que inclui tiras de Viva o Alasca! e Monstros de Outro Planeta! são outras antologias que também merecem atenção.
Há ainda Calvin & Hobbes - Páginas de Domingo - Catálogo de Uma Exposição, com comentários de Bill Watterson. A exposição de originais das páginas dominicais esteve patente na Biblioteca de Investigação da BD da Universidade Estadual do Ohio, entre 10 de setembro de 2001 e 16 de janeiro de 2002, segundo seleção e comentários de Bill Watterson.
Em 1993 esteve patente uma exposição com originais de Calvin & Hobbes no 4.º Festival Internacional de BD da Amadora, sob a montagem de um enorme Hobbes. Na 6.ª edição do mesmo Festival (1995), Calvin & Hobbes estiveram presentes na exposição "As Crianças Terríveis da Banda Desenhada", juntamente com Quim e Filipe, Boule e Bill, entre outras séries.
Como referenciar: Calvin & Hobbes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-22 13:00:11]. Disponível na Internet: