Camané

Fadista português nascido em 1967, em Oeiras, de nome Carlos Manuel Moutinho Paiva dos Santos Duarte.
Camané teve o seu primeiro contacto com o fado por volta dos 10 anos, quando descobriu a coleção de discos dos pais, que lhe despertou grande curiosidade. Deparou-se então com grandes nomes do género, entre os quais se contam o de Amália Rodrigues, Fernando Maurício, Lucília do Carmo, Maria Teresa de Noronha, Alfredo Marceneiro e Carlos do Carmo. Em 1979, participou na Grande Noite do Fado e não tardou em gravar alguns temas, apresentados publicamente. Após um interregno de cinco anos, o cantor retomou o contacto com o fado, voltando a atuar regularmente em casas da especialidade e integrando o elenco de vários espetáculos produzidos por Filipe La Féria, casos de "Grande Noite", "Maldita Cocaína" e "Cabaret".
O seu primeiro álbum, intitulado Uma Noite de Fados, foi editado em 1995 e valeu a Camané grandes elogios por parte da crítica especializada e reconhecimento por parte do público. O trabalho contou com a produção de José Mário Branco, que conheceu o promissor fadista quando este atuou nas noites de fado do Teatro da Comuna. Desde então, desenvolveram uma relação simultânea de amizade e de trabalho, da qual resultou a edição deste primeiro disco, gravado ao vivo no Palácio de Alcáçovas, ao longo de quatro noites consecutivas. O segundo álbum surgiu no início de 1998, novamente com produção de José Mário Branco. As grandes expectativas depositadas pela crítica em Na Linha da Vida foram superadas, confirmando-se assim a qualidade e o potencial do jovem fadista.
Ao longo desse ano, Camané participou no espetáculo incluído na agenda da Expo 98, "De Sol a Lua - Flamenco a Fado", assim como em festivais de música na Europa, caso dos festivais "Tombées de la Nuit", em Rennes, e "Les Méditerranées à l'Européen", em Paris. No fim de 1998, altura em que este segundo álbum foi editado pela EMI holandesa e belga, o fadista realizou uma digressão por estes países, participou como convidado no espetáculo de José Mário Branco, que teve lugar no Teatro Camões, e no concerto comemorativo dos 35 anos de carreira de Carlos do Carmo, realizado no Centro Cultural de Belém.
Após uma série de concertos realizados em 1999 em Portugal, Espanha, Macau e França, o cantor viu o seu terceiro álbum de originais, Esta Coisa da Alma, ser editado no início do ano 2000, simultaneamente em Portugal, na Bélgica e na Holanda.
Um ano depois, o fadista regressou com novo álbum de originais, intitulado Pelo Dia Dentro.
No final de 2003, o fadista editou o seu primeiro registo fonográfico ao vivo, com o título Como Sempre... Como Dantes, contendo os principais temas da sua carreira, gravados no ambiente intimista dos concertos do cantor.
Como referenciar: Camané in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 18:47:13]. Disponível na Internet: