Cantiga de amor

A par das cantigas de amigo e das cantigas de escárnio e maldizer, a cantiga de amor é um dos três grandes géneros em que se divide a lírica galego-portuguesa. Fortemente influenciada pelo lirismo provençal, na cantiga de amor, o trovador, fazendo eco de um ideal de amor cortês, exprime o seu amor não correspondido por uma dama equiparada a um suserano a quem o amante deve um serviço de amor consubstanciado em atitudes de louvor, fidelidade, abnegação. No entanto, deve considerar-se que a cantiga de amor diverge da "cansó" provençal por uma maior idealização da dama e por uma quase redução do amor cortês a um jogo retórico que retoma convencionalmente as fórmulas provençais de expressão dos sentimentos opostos vividos pelo trovador, suspenso na expectativa de satisfação de um desejo nunca consumado. Formalmente, a cantiga de amor apresenta um maior investimento que as cantigas de amigo na variação dos esquemas métricos, rítmicos e retóricos, numa predominância das cantigas de mestria sobre as de refrão, no recurso à "atá-fiinda", ao dobre e mordobre, explorando ao máximo as possibilidades combinatórias dos motivos amorosos continuamente reiterados.
Como referenciar: Cantiga de amor in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-20 22:10:46]. Disponível na Internet: