Canto e Castro (político)

Almirante e político português, João do Canto e Castro Silva Antunes nasceu a 19 de maio de 1862, em Lisboa, e morreu a 14 de março de 1934, na mesma cidade.
Monárquico, tendo inclusive sido deputado em 1908, oficial da Marinha com carreira feita nas colónias e em funções de comando, fez parte do governo de Sidónio Pais, na qualidade de ministro da Marinha, e acabou por ser eleito Presidente da República pelo Congresso após o assassinato de Sidónio. Esta eleição, a 16 de dezembro de 1918, gerou forte controvérsia. A sua credibilidade ficou fortemente abalada, mas Canto e Castro acabou por contrariar as expectativas mais pessimistas ao garantir a efetivação de eleições legislativas em 1919 - nas quais venceu uma maioria democrática - e ao defender a República, apesar das suas profundas convicções monárquicas, contra as tentativas de restauracionismo registadas no mesmo ano (Monarquia do Norte, revolta de Monsanto). Em 1919 foi promovido a Almirante por distinção, passando a desempenhar as funções de chanceler da Ordem de Torre e Espada e de presidente do Conselho Superior de Disciplina da Armada. Em 1932 passou à situação de reforma, falecendo dois anos depois.
Como referenciar: Canto e Castro (político) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 08:53:58]. Disponível na Internet: