Carlos Gardel

Cantor e ator, Carlos Gardel nasceu a 11 de dezembro de 1890, na cidade francesa de Toulouse. Filho de pai incógnito e de Berta Gardés, foi batizado como Charles Romuald Gardés. Em 1983, mãe e filho partiram para a Argentina, pelo que a infância do jovem Charles foi passada junto ao mercado de abasto. Embora tenha estudado, havia de desistir dos estudos em 1906, precisamente no segundo ano do liceu. A sua vocação era o canto e, incentivado por outros, começou a cantar em comícios políticos e restaurantes da zona de Abasto. Em 1911, juntamente com o cantor José Razzano, formou o duo Gardel-Razzano que haveria de ser uma rampa de lançamento para a carreira artística de Gardel. A eles juntou-se o guitarrista Francisco Martino, um ano depois. A notoriedade local do grupo levaria aos primeiros contratos de gravação de Gardel com a Columbia, por intermédio da Casa Taggini, onde atuava regularmente. Nessa altura, ainda o tango não figurava no seu repertório. Em 1913, o grupo tornou-se um quarteto com a entrada do cantor Saúl Salinas e os quatro seguiram numa digressão pela província rural de Buenos Aires. Na ocasião da saída de Salinas, pouco tempo depois, o grupo adotou o nome Terceto Nacional. Em dezembro de 1913, também Martino os deixou e o dueto original foi retomado agora com a designação de Dúo Nacional Gardel-Razzano. Ainda nesse mês, tiveram uma estreia auspiciosa no prestigiado Armenonville, um cabaré-restaurante. A 8 de janeiro de 1914, o duo chegava ao Teatro Nacional de Buenos Aires e passou pouco tempo até que cantassem em todos os teatros de Buenos Aires, primeiro, e depois nas principais cidades argentinas: Rosario, Santa Fé e Córdoba. Em 1915, atuaram pela primeira vez fora do país, no Teatro Royal de Montevideu, no Uruguai. Seguiu-se, no mesmo ano, uma digressão no Brasil, no decorrer da qual Gardel teve oportunidade de privar com o seu grande ídolo, o tenor italiano Enrico Caruso. No final de 1915, Gardel é baleado durante uma querela. Esse episódio havia de afastá-lo das lides artísticas durante uns tempos. A bala ficaria com ele para sempre.
Um ano mais tarde, com Gardel completamente recuperado e já com o novo guitarrista, José Ricardo, sugestivamente apelidado de El Negro, o duo (agora trio) prosseguiu o seu percurso com uma temporada em Mar del Plata. No ano seguinte, Gardel decidiu que havia de cantar publicamente um tango e fê-lo durante uma atuação no Teatro Empire, em Buenos Aires. A partir daí os tangos não mais deixariam o seu repertório. Em 1917, gravaram para a Glucksmann e iniciaram a primeira digressão no Chile. Gardel estreou-se no cinema no filme mudo "Flor de Durazno".
De 1918 a 1922, o duo manteve intensa atividade por terras argentinas, acrescentando outro guitarrista ao ensemble, Guillermo Barbieri. No ano seguinte, passam por uma extensa digressão internacional, culminada na presença no Teatro Apolo, em Madrid. O dueto haveria, contudo, de se desfazer em 1925. Gardel partiu para Espanha, cantou no Teatro Goya de Barcelona e gravou os primeiros discos como solista. Depois de breves retornos a Buenos Aires, Gardel teria a sua primeira atuação no teatro Fémina de Paris, a 30 de outubro de 1928. Regressaria a França, um ano mais tarde, com o guitarrista uruguaio José Aguilar no grupo, cantando na Ópera de Paris. Em meados de 1929 regressa a Buenos Aires, com Barbieri e Aguilar, já que Ricardo tinha entretanto abandonado o grupo. É em 1930 que são gravadas, na Argentina, as famosas curtas-metragens musicais. Entre o final de 1931 e o verão de 1932, Gardel parte em pequenas digressões pela Côte d'Azur, pela Itália, por Londres, Paris, Viena, Berlim e Barcelona, agora sem a companhia dos guitarristas de outros tempos. Ainda em 1932, participa no filme "Esperame" da Paramount francesa e nas fitas "La Casa es Seria" e "Melodia de Arrabal", de Imperio Argentina. Foi por ocasião destes filmes que começou a trabalhar com Alfredo Le Pera, que havia de colaborar com ele em composições de diversos tangos. Neste período nasceram temas como "Melodía de Arrabal", "Silencio", "Me Da Pena Confesarlo", entre outros.
Quando Gardel regressou a Buenos Aires em 1933, juntou o seguinte alinhamento de guitarristas: Barbieri, Riverol, Vivas e Pettorossi. Com este coletivo partiram em digressão pela Argentina e pelo Uruguai. Seria a última digressão da sua carreira na América Latina. A última gravação em disco em Buenos Aires ("Madame Ivonne", um tango de Eduardo Pereyra e Enrique Cadícamo) foi registada a 6 de novembro de 1933. No dia seguinte, Carlos Gardel partiria para a Europa. Seguiam-se os Estados Unidos da América, tendo ocasião de mostrar os seus dons na mais importante emissora de rádio americana, a NBC de Nova Iorque, no último dia desse ano.
Em 1934, com a colaboração de Le Pera nas letras, Gardel escreveu "Cuesta Abajo", "Mi Buenos Aires Querido" e "Tango en Broadway" para a Paramount Pictures. Ainda nesse ano, depois de uma breve viagem a França, voltaria a atuar na NBC e, mais importante do que isso, num novo convite da sétima arte, integraria o elenco do musical "Cazadores de Estrellas", da Paramount, contracenando com Bing Crosby, Richard Tauber e Ray Noble. Entre janeiro e fevereiro de 1935 seria a estrela maior dos filmes "El Día Que Me Quieras" e "Tango Bar", onde dava a voz às principais canções da sua carreira. Em abril, Gardel decidiu partir numa digressão por Porto Rico, Venezuela, Colômbia, Panamá, Cuba e México mas um trágico acidente de aviação em Medellín pôs termo à sua vida a 24 de junho de 1935. Tinha 45 anos.
Como referenciar: Carlos Gardel in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-04 10:31:38]. Disponível na Internet: