Carlos Tavares

Político português, Carlos Manuel Tavares da Silva nasceu a 4 de abril de 1953, em Estarreja. Aos 22 anos, licenciou-se em Economia na Faculdade de Economia do Porto, estabelecimento de ensino onde se tornou assistente. Logo a seguir, integrou o gabinete de estudos macroeconómicos do Banco Português do Atlântico. Nesta instituição bancária trabalhou durante dez anos com Miguel Cadilhe, que viria a ser ministro das Finanças. Em 1989, Cadilhe convidou Carlos Tavares para ser secretário de Estado do Tesouro e este ficou também responsável pelo gabinete que controlava os orçamentos e investimentos nas empresas do Estado. Depois, passou a ser ainda diretor do Gabinete de Estudos Económicos das Finanças. Quando Cadilhe abandonou o Governo, Carlos Tavares manteve-se na Secretaria de Estado, passando a integrar a equipa de Miguel Beleza. Mas, em 1991 chegou a sua vez de abandonar o Governo, passando a presidir ao Conselho de Administração da Unicre e desempenhando a função de administrador do SIBS, ambos no setor bancário. Em fevereiro de 1992, regressou ao Banco Português do Atlântico e, logo em novembro desse ano, foi convidado para a presidência do Banco Nacional Ultramarino. Desta instituição passou para a Caixa Geral de Depósitos, onde foi administrador e vice-presidente durante o período de quatro anos em que lá esteve. A seguir, em 1996, passou pelo Cisf (banco de investimentos do Banco Comercial Português) e pelos bancos Chemical, Totta, Pinto e Sottomayor e Crédito Predial Português, sempre em cargos de liderança.
Antes de ser convidado para integrar o XV Governo Constitucional como ministro da Economia, Carlos Tavares trabalhava no Banco Santander, de Espanha. Esta ligação à banca espanhola terá inviabilizado a sua ida para o Ministério das Finanças, como seria desejo de Durão Barroso, porque teria de lidar com muitos dossiers financeiros relacionados com Espanha.
Na campanha eleitoral que levou o Partido Social Democrata ao Governo, defendeu o programa do partido enquanto colaborador do gabinete de estudos económicos, mostrando-se favorável ao choque fiscal e ao combate à fraude e à evasão fiscal.
Como referenciar: Carlos Tavares in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-26 11:14:35]. Disponível na Internet: