carraginato

Os carraginatos são extratos de algas vermelhas da família das Rodophyceae.
As principais espécies usadas industrialmente são: Chondrus, Gigartina, Eucheuma, Hypnea e Iridaea.
Estes são polímeros de galactoses (açúcar base) mais ou menos sulfatadas. O esqueleto comum é uma cadeia de D-galactoses ligadas alternadamente em a (1-3) e b (1-4), com frações diferentes. As diferenças devem-se à quantidade e à posição dos sulfatos e à presença, ou ausência, de uma ponte anidro na galactose ligada em (1-4).
Os carraginatos apresentam-se sempre como uma mistura de várias frações (frações l, m, t, u, k).
Existem cinco tipos de carraginatos, consoante a predominância das suas frações: carraginatos kapa (k), que apresentam propriedades gelificantes; carraginatos iota (t), que também possuem propriedades gelificantes; carraginatos lambda (l), que têm propriedades espessantes; carraginatos Mu (m), que são precursores biológicos do carraginato kapa e, por fim, os carraginatos Nu (u), que são precursores dos carraginatos iota.
As irregularidades da cadeia principal interferem no poder gelificante dos carraginatos kapa e iota.
O fabrico dos carraginatos assenta essencialmente nas seguintes etapas: obtenção das algas vermelhas (matéria-prima); extração (maceração em água quente, moagem e digestão alcalina); purificação (filtração a quente sob pressão com terra filtrante (eliminação das impurezas: celulose, proteínas e areia); coagulação (precipitação em álcool, recuperação do precipitado e lavagem em álcool (desidratação) e obtenção do carraginato (secagem do precipitado e moagem).
Como referenciar: Porto Editora – carraginato na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-21 06:54:53]. Disponível em