carro (simbologia)

Entendido como o veículo de duas rodas que se distingue da carroça de quatro rodas, o carro tem diferentes simbolismos consoante as diferentes culturas e locais do Mundo. Centro do universo e do planeta Terra, também simboliza o Sol, certas constelações de estrelas e mesmo o ser humano. O carro é também o veículo dos deuses, dos heróis e dos príncipes e, a eles associado, representa o destino do mundo, das batalhas e das nações.
O carro de duas rodas tem diferentes simbolismos, consoante se considere o objeto em si, a pessoa ou a entidade que o conduz e os animais que a ele são atrelados e que o movimentam. Enquanto veículo, o carro é considerado na China e na Índia como o centro do Universo, nomeadamente o seu eixo, e as duas rodas como o Sol e a Terra. Na mitologia indiana, o carro é também muitas vezes associado ao Sol no seu percurso pela esfera celeste e às constelações da Ursa Maior e da Ursa Menor, que são respetivamente o Grande Carro e o Pequeno Carro. Os hindus dão maior importância a quem conduz o carro, que, na sua religião, tanto pode ser Agni, o fogo, Prana, o sopro, Atman, o Si-Mesmo, ou Buddhi, o intelecto. No budismo, o carro é um sinónimo de ego que só existe quando as suas diferentes partes estão associadas e que desaparece logo que existe a sua desagregação, da mesma forma que na morte do ser humano. O carro é o veículo espiritual de Buda puxado por um boi branco. Tanto no hinduísmo como no budismo, o condutor do carro simboliza o espírito, enquanto que os animais que o impulsionam são os sentidos que necessitam de ser bem conduzidos e encaminhados. Esta imagem, que dissocia o carro enquanto elemento psíquico do homem e o condutor como o elemento espiritual do homem, também é encontrado em Platão. A associação destes dois elementos resulta no homem e na sua consciência e, nos vedas indianos, o carro é o veículo da alma durante o tempo de uma vida ou uma encarnação. Para além dos iluminados, o carro é também o veículo dos príncipes que na antiga China o utilizavam para demonstrar a sua destreza e habilidade e neste caso o carro simbolizava a nação ou o reino. Tanto na Irlanda, como na Bretanha ou na antiga Gália, o carro era também o veículo dos heróis e dos deuses. Uma simbologia muito antiga que remonta aos tempos pré-históricos, associa o carro ao Sol e ao seu movimento no céu, e por esta razão foi associado mais tarde na Antiguidade clássica aos deuses ligados ao astro-rei como Apolo, Mitra ou Zeus.
Segundo as diferentes tradições, são diversos os animais que são atrelados aos carros. Zeus, na sua grandeza de pai dos deuses, utilizava águias. Juno preferia a exuberância dos pavões. Apolo escolheu a beleza e a nobreza dos cavalos. Atena era conduzida por licornes, símbolos de pureza e virgindade. O deus da guerra, Marte, era conduzido por lobos, Ceres por dragões e Cibele por leões. O carro de Dionísio era puxado por bodes, o de Hermes por cisnes e o de Hefesto por cães.

Como referenciar: carro (simbologia) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 17:28:16]. Disponível na Internet: