Casa Farnsworth

A Casa Farnsworth, projetada pelo arquiteto alemão Mies van der Rohe (1886-1969) para o Dr. Edith Farnsworth entre 1948 e 1952, localiza-se em Fox River Valley, Plano, Illinois (Estados Unidos da América).
Formando um volume único, prismático, de vinte e três por nove metros, elevada a cerca de um metro e meio do solo, a casa desenvolve-se entre duas lajes de betão. Este afastamento do solo foi ditado pelas condições naturais, uma vez que o edifício se localizava num terreno plano junto a um lago e como tal corria constantemente o perigo de inundação.
A habitação é suportada por um conjunto de oito pilares de ferro em forma de I, pintados de branco. O acesso faz-se através de um vasto alpendre que ocupa cerca de um terço da área do volume, criando uma assimetria que é reforçada e equilibrada pela plataforma de acesso, em forma de pódio, construída a um nível intermédio e sustentada por seis pequenos pilares. Uma série de largos degraus articulam os diferentes níveis. Todos estes elementos são revestidos por placas de travertino que formam uma grelha de 61 por 91 centímetros.
A casa é rodeada por uma membrana de vidro com uma única porta que se volta para o alpendre.
O espaço interior, totalmente aberto e contínuo articula-se em volta de uma caixa central, revestida com madeira preciosa onde se encontram os espaços de serviço (sanitários). Os móveis colocados neste espaços foram desenhados pelo próprio arquiteto, numa procura de controlo figurativo e formal de todos os campos do projeto.
A casa Farnsworth culmina o processo de invenção e pesquisa espacial e construtiva do seu autor no sentido da simplificação absoluta e da redução linguística à essência construtiva do edifício. A espacialidade livre e fluída, articulando planos executados com materiais nobres como mármores e madeiras, que fora anunciada pelo magnífico pavilhão Alemão da Exposição de Barcelona de 1929 e aprofundada na casa Tugendhat em Brno, República Checa, datada de 1930, traduz uma orientação estética original que Mies sintetizou na sua máxima "less is more" (menos é mais).
A casa Farnsworth constitui uma referência incontornável na evolução conceptual do espaço doméstico durante o século XX, assumindo uma grande influência sobre a produção arquitetónica da segunda metade do século.
De entre as mais conseguidas derivações conta-se a casa do seu discípulo, Philip Johnson, construída em New Canaan entre 1949 e 1950.
A idealização radical das formas de habitar, a sua precisão geométrica e rigidez funcional que limitam as liberdades de vivência transformaram-na num espaço quase sacro e hiperdesenhado e controlado que impedia a livre apropriação e identificação. Adquirida por um milionário, a casa preserva-se como cristalizada no tempo, sendo ocupada somente em curtos períodos de tempo.
Como referenciar: Porto Editora – Casa Farnsworth na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-29 21:12:43]. Disponível em