Castelo de Arraiolos

A intenção de construir um castelo na então herdade régia de Arraiolos remonta a 1217, quando D. Afonso II autoriza D. Soeiro, bispo de Évora, a edificá-lo.
Mas este desejo só se concretizaria quase um século mais tarde quando o monarca D. Dinis, que lhe outorga foral em 1310, inicia a sua construção. Deste conjunto fazia parte um Paço, já desaparecido, a cerca com a porta de arco ogival e a torre de menagem, que ainda hoje se mantêm de pé. O castelo está também associado à memória de D. Nuno Álvares Pereira a quem foi doado o senhorio da vila em 1387. Nos inícios do século XV terá aqui residido por diversas vezes.
Em 1613 o castelo encontrava-se já em avançado estado de ruína. Os oficiais da câmara queixam-se de que a fortaleza e as casas que estariam dentro do castelo se estavam a desfazer.
De um passado imemorial, pré-histórico, guardam-se, no Museu de Évora, alguns percutores de quartzo e um machado de cobre recolhidos na alcáçova.
Como referenciar: Castelo de Arraiolos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-20 18:37:19]. Disponível na Internet: