Castelo de Vide


Aspetos Geográficos
O concelho de Castelo de Vide, do distrito de Portalegre, apresenta uma área de 265,8 km2 e abrange quatro freguesias: Nossa Senhora da Graça de Póvoa e Meadas, Santa Maria da Devesa, Santiago Maior e São João Batista.
O concelho encontra-se limitado a norte e oeste pelo concelho de Nisa, a sul pelos do Crato e Portalegre, a este pelo de Marvão e a nordeste por Espanha. O concelho apresentava, em 2005, um total de 3787 habitantes.
O natural ou habitante de Castelo de Vide denomina-se castelo-vidense.
Possui um clima marcadamente mediterrânico, caracterizado por uma estação seca bem acentuada no verão. A precipitação é irregular. As vertentes expostas a sudoeste têm um clima mais quente e seco do que as expostas a nordeste, com um clima mais frio e húmido.
O edificado estende-se por uma meia encosta, a cerca de 625 metros de altitude de uma das colinas da serra de S. Mamede. Além desta serra, destacam-se, ainda, a serra do Facho (762 m) e a serra de Urre (782 m) como elevações de maior altitude, assim como uma falha importante, que se relaciona com as nascentes termominerais desta vila.
Parte deste concelho está inserida na área do Parque Natural da Serra de São Mamede, que tem um grande interesse geomorfológico, paisagístico, faunístico e florístico, valores arquitetónicos e paisagens humanizadas. A sua criação foi oficializada através do Decreto-Lei n.° 121/89, de 14 de abril. A sua área é de 31 750 ha, abrangendo parte dos concelhos de Arronches, Castelo de Vide, Marvão e Portalegre.
Neste parque existe uma grande diversidade geológica, como, por exemplo, as marmitas de gigante, em Galegos, as grutas e os quartzitos.
Como recursos hídricos, possui a ribeira de Nisa.

História e Monumentos
Nas terras deste concelho foram encontrados vestígios arqueológicos que datam do Paleolítico.
A localidade começou por ser designada de Vide; contudo, com a construção do castelo, a toponímia alterou-se para Castelo de Vide. O seu castelo foi doado à Ordem de Cristo em 1372, em troca de Castro Marim. No século XVIII, a povoação não cabia dentro da cintura das muralhas, de modo que se estendeu para este, até à colina onde foi edificado o Forte de São Roque.
Ao nível do património arquitetónico e monumental, salienta-se a necrópole megalítica dos Coureleiros, que possuiu um conjunto de cinco antas, sendo a anta 2 classificada como Monumento Nacional e as restantes como Imóveis de Interesse Público. O próprio Castelo de Vide está também classificado como Monumento Nacional, do qual restam importantes estruturas do amuralhamento abaluartado e a torre de menagem. Na Rua de Santo António, intramuros, existem antigos quartéis da guarnição encostados à muralha, com paredes de alvenaria sem rebocos e chaminés sem tijoleiras.
A Estação Arqueológica dos Mosteiros conserva ainda uma anta, um forno romano, uma necrópole romana, várias ruínas de villa rústica romana e ruínas de estruturas medievais. De referir, também, a Estação Arqueológica de Meada, que possui um menir classificado como Monumento Nacional, e engloba a barragem romana da Tapada Grande, vestígios de villa rústica romana, sepulturas escavadas na rocha, lagariças da Tapada Grande e da Tapada das Galegas e uma construção de falsa cúpula dos Currais da Matinha.

Tradições, Lendas e Curiosidades
São muitas as manifestações populares e culturais no concelho: a festa de Nossa Senhora da Penha, a 5 de agosto; a festa e romaria de Nossa Senhora da Alegria, em julho; a romaria à Nossa Senhora da Luz, na segunda-feira de Páscoa; a romaria ao Bom Jesus, no último fim de semana de agosto, e a festa de Nossa Senhora dos Prazeres, a 8 de setembro, na qual se reúne um grupo de pessoas que, com o estandarte de Nossa Senhora, se dirigem às proximidades da cidade de Ponte de Sor, onde é celebrada missa na Capela de Nossa Senhora dos Prazeres, seguida de uma confraternização. A 21 de agosto, data do aniversário da Banda União Artística, ocorre um desfile pelas ruas de Castelo de Vide e um concerto no jardim.
No artesanato, são de salientar os trabalhos em cortiça e madeira.
Como instalações culturais, destacam-se o Centro Municipal de Cultura. No primeiro piso, têm lugar exposições temáticas temporárias e no segundo piso existe uma Secção de Arqueologia da Câmara Municipal de Castelo de Vide, também com exposições temáticas temporárias, e o Centro de Interpretação do Parque Natural da Serra de São Mamede, um centro museológico e expositivo.

Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor primário, na área da produção agrícola, e ao setor terciário, na área do turismo, do pequeno comércio e do artesanato.
Na agricultura, predominam os cultivos de cereais para grão, prados temporários e culturas forrageiras, culturas hortícolas intensivas, pousio, olival, prados e pastagens permanentes. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de aves, ovinos e bovinos.
Quase 15% (1750 ha) do seu território está coberto de floresta.
Como referenciar: Castelo de Vide in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 23:08:53]. Disponível na Internet: