Artigos de apoio

Catedral de Salisbury
Fundada em 1075 na Inglaterra, a construção que chegou até nós foi edificada entre 1220 e 1280, excetuando o campanário, datado do século XIV, cuja flecha, de 120 m de altura, é a mais alta executada na época medieval. Distingue-se pela simplicidade e pelos seus volumes diluídos, sendo considerada o exemplo máximo do primeiro Estilo Inglês que, contrariamente às catedrais de inspiração francesa, apresenta uma construção longa, baixa e dilatada. Os planos compactos, tipicamente ingleses, devem-se à necessidade de albergar no mesmo edifício funções seculares e monacais. A fachada principal, inspirada na Catedral de Wells, com a parede rendilhada, converte-se numa grelha gigantesca, estratificada por bandas horizontais, carregadas de ornamentação e estatuária. Em contraposição, as torres não sobressaem mais do que simples coruchéus. A cabeceira é plana, influência recebida da arquitetura cisterciense. O transepto é duplo, transformando-se o segundo braço numa outra igreja, de planta cruceiforme, disposição esta característica das catedrais inglesas. Outra particularidade é o encurvamento das abóbadas, ficando as janelas do trifório encaixadas na abóbada, e a utilização do mármore negro de Purbeck, como é feito da Lady Chapel. Das instalações antigas restam: o claustro, um dos exemplares mais bem conservados de Inglaterra, ornado em Decoret Style, e a sala do Capítulo, erguida em 1278-1280, de planta octogonal e de janelas revestidas por motivos característicos do início do Estilo Adorno.
Como referenciar: Catedral de Salisbury in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-11-23 20:34:00]. Disponível na Internet: