cavalinha

Designação comum de plantas herbáceas do género Equisetum da família das Equisetáceas.
As plantas do género Equisetum são rizomatosas e emitem caules aéreos simples ou com ramos verticilados, biformes ou uniformes (e neste caso uns ramos são estéreis), verdes ou com ramos verdes, e outros são ramos férteis e sem clorofila. As folhas são escamiformes de inserção verticilada e reunidas em bainha acima dos nós. Os esporângios estão reunidos em estróbilos terminais com numerosos esporangióforos verticilados e peltados. Os esporos são esféricos, uniformes, revestidos por duas tiras espiraladas. Os arquegónios e anterídeos estão situados em protalos distintos. Os espermatozoides são multiciliados
Estas espécies são frequentes em terrenos húmidos e sombrios em quase todos os continentes com exceção da Austrália. Em Portugal existem cinco espécies, das quais as mais comuns são a Equisetum ramosissimum de caules uniformes geralmente ramosos e com estróbilos, também vulgarmente conhecida como pinheirinha, erva-pinheira ou rabo-de-porco, a Equisetum arvense, de rizoma pubescente alongado e caules biformes, os estéreis ramificados e verdes e os férteis simples e castanho-pálidos, também designada cavalinha-dos-campos, cavalinha-das-areias, equiseto-menor ou erva-cavalinha, e a Equisetum telmateia, também comummente conhecida rabo de cavalo, de caules biformes, os férteis de cor acastanhada e robustos, aparecendo antes dos externos marfinosos. Os estróbilos têm o comprimento de 40 a 80 milímetros. Esta espécie produz uma estria negra que é utilizada no fabrico de ceras.
Como referenciar: cavalinha in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-24 07:42:29]. Disponível na Internet: