Cavour

Político italiano (1810/08/10-1861/06/06), Camilo Benso Cavour (conde de), nascido e falecido em Turim, descendente de uma família nobre de Piemonte, foi oficial de artilharia, mas foi coagido a demitir-se dada a sua indisciplina (1830). Viajou bastante e durante as suas jornadas aproveitou para estudar problemas agrícolas e financeiros.
Em 1847, criou o jornal Il Risorgimento. Três anos depois foi eleito para o Ministério da Agricultura e do Comércio. A sua reputação de homem liberal leva Vítor Manuel II, rei do Piemonte, a chamá-lo para o lugar de primeiro-ministro (4 de novembro de 1852), com o intuito de uma harmonização entre centro-esquerda e o centro-direita, tão necessária à solidez do governo. Daqui em diante, e até à data da sua morte (1861), a sua carreira política tem como objetivo a luta pela unidade italiana, tendo sido considerado o maior estadista do seu tempo. Tomou medidas por vezes duras, como a supressão das ordens religiosas e a penhora dos seus bens, levando Pio IX a condená-lo (26 de julho de 1855). Conseguiu, nos dez anos do seu governo, unir uma Itália que esteve dividida e ocupada por forças estrangeiras durante 14 séculos.
Como referenciar: Porto Editora – Cavour na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-18 12:25:32]. Disponível em