CERN

Acrónimo de Centre Européen pour la Recherche Nucléaire (Centro Europeu para a Pesquisa Nuclear), o CERN nasceu de uma proposta apresentada pelo físico francês vencedor de um prémio Nobel, Louis de Broglie, durante a Conferência Cultural Europeia que se efetuou em Lausanne, no ano de 1949.
Em 1952, um total de 11 países europeus chegou a acordo quanto à criação de um centro europeu de pesquisa nuclear provisório, formando um conselho de administração que durante o mesmo ano escolheu um local próximo de Genebra para instalar os laboratórios.
A 29 de setembro de 1954, o Centro Europeu para a Pesquisa Nuclear definitivo entra em funcionamento, mantendo o acrónimo utilizado pelo CERN provisório, entretanto dissolvido. Teve nesta altura 12 Estados membros fundadores: a então República Federal da Alemanha, a Bélgica, Dinamarca, França, Grécia, Itália, Noruega, Holanda, Reino Unido, Suíça, Suécia e Jugoslávia, tendo esta última acabado por abandonar em 1961.
Em 1959 também a Áustria se juntou ao grupo de países, e em 1961 foi a vez da Espanha, que decidiu sair em 1969, mas regressou em 1983.
Em 1985 foi a vez de Portugal e em 1991 juntaram-se-lhe, a Polónia e a Finlândia.
Finalmente, em 1992 o CERN passou a contar com a participação da Hungria, um ano depois com as Repúblicas Checa e Eslovaca, e por fim, em 1999, com a Bulgária, perfazendo um total de 20 estados membros.
Em 1990 o cientista do CERN Tim Berners-Lee, trabalhando em cooperação com Robert Cailliau, cria um novo sistema para visualização de informação distribuída, baseada no hipertexto, uma forma de ligar blocos de informação relacionados armazenados em diferentes computadores, escondendo os endereços de rede por trás de itens realçados no ecrã.
Se originalmente tinham como objetivo meramente facilitar a troca de documentos entre os cientistas do CERN, com esta descoberta criaram as fundações do que vieram a chamar de World Wide Web, ou WWW, a maior e mais conhecida das redes presentes na Internet.
Como referenciar: CERN in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 08:23:26]. Disponível na Internet: