Artigos de apoio

Charles Sheeler
Fotógrafo e pintor norte-americano, Charles Sheeler nasceu em Filadélfia, nos Estados Unidos da América, em 1883. Estudou na Escola de Arte Industrial e na Academia das Artes de Filadélfia e cedo começou a dedicar-se à pintura. Em 1908, durante uma viagem a Paris, contacta pela primeira vez com os trabalhos de artistas como Picasso, Matisse e Cézane. Ao regressar aos EUA, e para poder continuar a pintar, decide dedicar-se à fotografia de arquitetura.
Durante a década de 20, integra a um grupo de artistas defensores de um estilo de pintura onde se combinava o realismo com o abstracionismo (Precisionism). Os trabalhos de Sheeler centravam-se essencialmente nos temas industriais e, ao longo do tempo, foi-se tornando num notável fotógrafo, de máquinas. Nas suas pinturas procurava alcançar a qualidade da fotografia e mesmo quando pintava num estilo mais abstrato continuava a preocupar-se em alcançar a perfeição e exatidão.
Em 1920 realiza com Paul Strand uma curta metragem experimental, intitulada "Mannahatta", um estudo sobre o ambiente urbano que seria um dos primeiros filmes artísticos da época. Em 1927 é contratado pela Ford para fotografar as fábricas da companhia. São imagens que registam interiores luminosos e industriais e onde a presença humana é rara, só surgindo com o intuito de transmitir a grandeza ou as proporções.
American Landscape (1930) é a pintura que melhor exprime a sua visão sobre a grande indústria. Sem qualquer elemento natural, apresenta um céu manchado pelo fumo libertado por uma chaminé fabril e um canal sem vestígios de vida. Tudo o que se vislumbra neste trabalho é resultado da intervenção humana.
Em 1938, a revista Fortune encomenda lhe seis pinturas que enalteçam o poderio da indústria americana. Sheeler viaja pelo país para fotografar tudo aquilo que serviria de base para este trabalho, concentrando-se na perfeição geométrica e nas formas dos objetos. E é neste contexto que reúne uma série de fotografias, intituladas "Power", que acabariam por ser publicadas pela Fortune e exibidas na Edith Halpert's Downtown Gallery.
Este seria um dos muitos trabalhos que revelariam o talento de Sheeler, que, embora não tenha tido a mesma projeção que contemporâneos seus, como Alfred Stieglitz ou Paul Strand, é considerado um dos mestres da fotografia do século XX.
A exposição "The Photography of Charles Sheeler: American Modernist" (2002), realizada no Museum of Fine Arts de Boston, terá sido a primeira grande exposição que reuniu e deu a conhecer toda a sua obra fotográfica.
Charles Sheeler morreu em 1965.

Como referenciar: Charles Sheeler in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-11-25 09:15:20]. Disponível na Internet: