Christopher Lee

Ator inglês, de nome completo Christopher Frank Carandini Lee, nasceu a 27 de maio de 1922, em Londres. Desde os seus tempos de escola que Lee gostava de representar. Contudo, esses sonhos foram interrompidos pela Segunda Guerra Mundial: Lee alistou-se na Royal Air Force e, no final do conflito, tinha aprendido que a vida era demasiado importante para ser mal aproveitada. Decide tornar-se ator. Alto (enorme, de facto), possuidor de um físico formidável, parecia talhado para representar papéis de personagens assustadoras. Os seus primeiros desempenhos foram sempre de figuras secundárias. Em 1948, no Hamlet de Laurence Olivier, Lee encontrou-se pela primeira vez com Peter Cushing, o ator com quem, mais tarde, viria a fazer parelha em inúmeros filmes, embora em Hamlet nunca contracenem juntos. Nesse mesmo ano, foi dirigido, no filme A Song For Tomorrow (1948), por um realizador que iria ser fundamental para o desenvolvimento da sua carreira e para a História do cinema fantástico: Terence Fisher. Finalmente, quase dez anos depois de ter iniciado a sua carreira de ator, os estúdios britânicos Hammer propõem-lhe que interprete o papel de Frankenstein numa nova adaptação do livro de Mary Shelley. O filme chamava-se The Curse of Frankenstein (A Maldição de Frankenstein, 1957) e foi o primeiro dos 21 filmes dos estúdios Hammer em que o ator participou. Tratou-se dum trabalho árduo, em que Lee teve de suportar o incómodo de uma maquilhagem que o tornaria praticamente irreconhecível e a ausência de diálogos. Apesar de tudo, o ator encarnou o monstro na perfeição. Em 1958, Terence Fisher convida-o a interpretar o papel do Conde Drácula no seu filme The Horror of Dracula, que conta com Peter Cushing no papel de Van Helsing e este será o primeiro dos muitos papéis que Lee desempenhará desta personagem e que marcarão definitivamente a sua carreira. Entre esses filmes, contam-se Dracula-Prince of Darkness (1965), Dracula Has Risen From the Grave (1968), Taste the Blood of Dracula (1969), The Scars of Dracula (As Cicatrizes do Drácula, 1971) e a produção alemã Count Dracula (1970). A carreira de Lee conta com o desempenho de várias outras personagens do nosso imaginário fantástico, como a múmia do filme The Mummy (A Múmia, 1959), o enigmático e perverso Dr. Jekyll, em The Two Faces Of Dr. Jekyll, (1960), mas também de personagens agradáveis como Sir Henry Baskerville, no filme The Hound of the Baskervilles (O Cão dos Baskervilles, 1959), ou o lendário Sherlock Holmes. De facto, Lee juntou esta figura mítica à sua galeria de personagens pela primeira vez no filme Sherlock Holmes und das Halsband des Todes (1962). Com o lançamento, oito anos mais tarde, do filme The Private Life of Sherlock Holmes (A Vida Privada de Sherlock Holmes, 1970), de Billy Wilder, em que vestia a pele de Mycroft Holmes, Lee tornou-se o primeiro ator a desempenhar o papel de Sherlock Holmes e do irmão, Mycroft, no grande ecrã. Outro papel de grande relevo na carreira de Lee é o de Fu Manchu na série dos anos 60 com o mesmo nome. O ator, primo afastado do criador do agente secreto 007, Ian Fleming, foi também o vilão Scaramanga no filme The Man with the Golden Gun (O Homem da Pistola Dourada, 1974), que contava com Roger Moore no papel de James Bond. Numa brilhante obra de casting, o ator contracenou com três dos grandes atores do género fantástico e de terror - Peter Cushing, Vincent Price e John Carradine - no filme House of Long Shadows (A Noite dos Facas Longas, 1983), que ficou famoso por reunir tais talentos. Com uma soberba carreira que conta com mais de duzentos filmes, Lee continuou a trabalhar regularmente durante os anos 80 e 90, até à atualidade, sendo de destacar, entre os seus últimos filmes, o aclamado Sleepy Hollow (A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça,1999), realizado por Tim Burton, e os dois primeiros filmes da famosa trilogia, adaptada do livro - um clássico - de J.R.R. Tolkien, The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring (O Senhor dos Anéis: A Irmandade do Anel, 2001)e The Lord of the Rings: The Two Towers (O Senhor dos Anéis: As Duas Torres, 2002) no papel do malvado Saruman. Participou também no filme francês Rivières Pourpres 2- Les Anges de L'Apocalipse (Os Anjos do Apocalipse, 2004). O nome deste grande ator estará, contudo, para sempre associado ao género fantástico e de terror, talvez mesmo à imagem do mítico Conde Drácula, tendo protagonizado, para uma pequena produtora britânica, alguns dos melhores filmes do género.
Como referenciar: Christopher Lee in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 11:18:45]. Disponível na Internet: