Ciro dos Anjos

Escritor brasileiro, Ciro Versiani dos Anjos nasceu em Montes Claros, no estado de Minas Gerais, em 1906. Fez o ensino secundário na cidade onde nasceu e o bacharelato em Direito em Belo Horizonte (1932). Aí, colaborou assiduamente na imprensa com artigos de crítica e estética, e cultivou amizade com nomes do meio literário como Carlos Drummond de Andrade, Emílio Moura e João Alphonsus.
Com a publicação de O Amanuense Belmiro (1937) e Abdias (1945), consagrou-se como romancista, pois estas obras situaram-no em posição de destaque na ficção brasileira moderna. As personagens Belmiro e Abdias, que protagonizam estas duas primeiras obras publicadas, são narradores de primeira pessoa das histórias que eles próprios apresentam na forma intimista do diário.
Em 1946 foi viver para o Rio de Janeiro, onde ocupou altos cargos na administração e no ensino. Em 1952 partiu para o México como professor convidado, para reger a cadeira de Estudos Brasileiros. Aí escreveu o ensaio A Criação Literária (1954) e o romance Montanha (1956). Neste, o autor retrata ironicamente um ambiente em que se reconhecem, se bem que transfiguradas, personalidades conhecidas do mundo político brasileiro do período da ditadura.
Nos romances de Ciro dos Anjos ressaltam a memória, a introspeção e o sentimento da caducidade humana como motivos condutores da ação. Duas grandes temáticas configuram este universo pessoal: de um lado a amorosa, do outro a política. Em O Amanuense Belmiro, o autor estabelece as bases da sua personalidade literária e da sua visão do mundo. Nos escritos seguintes não faz mais do que desenvolver os caracteres assumidos na sua obra de estreia.
Faleceu em 1994.
Como referenciar: Porto Editora – Ciro dos Anjos na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-27 21:02:22]. Disponível em